quarta-feira, junho 30, 2010

Refletir sobre os pontos básicos nunca é demais! - por Mariel

Olá!

Atualizando minha situação: visto concedido, embarco dia 11 de julho para Northbrook, IL. Muitas expectativas, ansiedade, medos e animação! E o próximo post será utilizando internet americana, haha.

Nesta semana conheci uma menina num bar que me ouviu falando sobre aulas de inglês (pra quem não sabe, sou professora) e sobre o programa de au pair. Ela pediu meu contato, pois estava pensando em fazer este intercâmbio e tinha muitas dúvidas, como acontece com todas nós.

Dizer várias coisas e dar várias dicas pra ela por e-mail me deu a ideia de usar parte disso no meu post de hoje, já que acho que o tema pode ajudar algumas outras pessoas também :D

Algumas coisas podem parecer bem repetitivas, mas estou falando de tudo sob o meu ponto de vista, e, além disso, acho que a maioria destes tópicos, apesar de básicos, sempre merecem repetição!

Sendo bem sincera, ser au pair não é nada fácil. Mas tem suas vantagens, claro. Afinal, se não fosse assim, o programa não existiria há tanto tempo, as pessoas não continuariam indo e eu não estaria embarcando de novo, rs.

É necessário pesquisar muito sobre o programa. Ler blogs, comunidades no Orkut, falar com várias agências, conversar com pessoas que já foram, etc. E é bem complicado porque também é preciso filtrar tudo que se está ouvindo. Algumas coisas são básicas e você realmente precisa procurar saber. Outras são "manhas" que a gente vai ganhando com o tempo e então quem já está ou esteve lá pode te dar mais dicas. Mas o fato é que a experiência de uma pessoa é totalmente diferente da da outra e então você não pode nem se iludir porque Maria teve a família dos sonhos e nem desistir porque a Joana foi super desrespeitada, maltratada e colocada num avião de volta pro Brasil.

Na minha humilde opinião, o programa de au pair tem alguns fatores determinantes para seu sucesso:
  1. Pesquisar: Eu li durante meses e meses tudo que via pela frente sobre o programa ou depoimentos de meninas que o fizeram. Quanto mais você se informar, quanto mais você souber sobre o que te espera, melhores condições você terá de fazer uma escolha consciente, preparada e não precipitada e da qual não se arrependerá. Não só sobre decidir realmente ser ou não au pair, mas, se resolver encarar, também sobre a família, as crianças, a região etc. Além disso, quando você já for au pair vai ter muito mais condições de exigir seus direitos e menos chances de ser passado pra trás se realmente tiver perspectivas reais sobre este intercâmbio!
  2. Pé no chão: Não se iluda. Existem famílias maravilhosas que vão te amar de verdade e te tratar como parte da família e vão ser pessoas das quais você jamais vai querer se separar. Porém, estas são raras, que fique claro. Afinal, isto nada mais é do que um trabalho! Com quantos chefes em um emprego normal você vai realmente se identificar, se apegar e fazer amizade? É preciso encarar tudo com muita maturidade e razão. Deixar-se levar pela emoção do momento e por irritações que serão passageiras é problema na certa!
  3. Sorte. Sim, sorte. Mas este não por acaso é o último ponto que estou expondo. Afinal, se você fizer as duas primeiras coisas direitinho, provavelmente nem precisará contar com ela, rs. Mas ela poderá lhe ser muito útil durante a procura por host families (ou melhor, espera por elas) e durante o processo do visto, por exemplo.
Lógico também que, se estou indo novamente é porque vale muito à pena! E eu digo sem sombra de dúvidas que aquele foi um dos melhores anos da minha vida, se não o melhor! E isto em todos os sentidos: no meu crescimento pessoal, na descoberta de mim mesma, na experiência de vida que morar em um outro país te traz e, claro, pelo inglês! Afinal, hoje posso viver disso!

Mas, a bem da verdade, os melhores momentos de uma au pair são seus dias off. Isso é fato. Entretanto, cabe a nós ter dedicação e comprometimento suficientes para fazer com que os momentos de trabalho e de convívio com a família não sejam sacrificantes e insuportáveis. Claro que a outra metade responsável para o sucesso do intercâmbio é a host family, mas isso está fora do seu controle. Faça sua parte e, aí, sim, conte com a sorte para dar uma ajudinha no resto.

E, sendo mais objetiva quanto às expectativas que costumamos ter sobre a língua, se a sua intenção é aprender o dia-a-dia, a conversa rotineira, sobre os mais variados assuntos e da melhor forma possível, faça um intercâmbio. More um ano fora! É aprendizado garantido, sem riscos de você perder o seu tempo como acontece com alguns cursos de idiomas, por exemplo. A gramática, a tradução, os termos técnicos, você consegue aprender em aulas ou em livros. A fluência, o jogo de cintura e lidar com o inesperado, não.

Enfim, espero que isso ajude pessoas que estejam pesquisando pela primeira vez sobre o programa. Mas, acima de tudo, espero que sirva como tópico de reflexão para aqueles que já tomaram a decisão de virar au pair e para os que já o são.

Beijos e boa sorte pra todos sempre,

Mariel

2 comentários :

  1. Amiga,
    você sempre fofa!! adorei!!
    na minha época li tanto sobre que doia as vistas! hahahah
    Nós vemos logo...morrendo de saudades já!

    :*

    ResponderExcluir
  2. Adorei ler seu post, e é isso aí! Pesquisa , determinação e sorte! : )

    ResponderExcluir