terça-feira, setembro 14, 2010

Pense bem ou chute o balde - Quando au pair e host family tem religiões diferentes

*Primeiramente queria agradecer a todos os comentários fofos no meu post de julho! Fiquei feliz mesmo que muita gente gostou e comentou! E pedir desculpas pelo #fail de agosto! Não que seja uma desculpa, mas trabalhei o fim de semana inteirinho e não deu tempo pra escrever!

**Aviso de ante-mão que este post não tem qualquer fanatismo religioso envolvido ou conhecimento prévio sobre feriados, dogmas e afins de outras religiões que não a minha. Escrevo o que sinto e penso - e o que vejo enquanto au pair-, não necessariamente o que é verdade universal. Então fica a dica, se você ler meu post e decidir "discutir" religião, nem perca seu tempo. Não discuto religião, política, futebol e preferências sexuais sem alcool suficiente no sangue :DDD

Quando a gente ainda tá no Brasil é bem comum fazer uma listinha de prioridades sobre a família que se quer escolher! Não sei como foi a de vocês, mas a maioria das meninas que conheci antes de vir, não tinham religião na escala de pré-requisitos. Muitas até aconselham a, caso você não seja de frequentar missas, cultos, templos, dizer que não tem religião, pois assim você abre seu leque pra mais famílias.

Foi o que eu fiz.

E então vocês me perguntam: Qual sua religião? Minha religião é algo entre catolicismo e espiritismo, se é que existe essa intersecção. Acredito que existe algo muito forte acima de mim, uma força maior que chamo de Deus. Acredito em destino, sou serendipitista e vivo sob a sincronicidade que os céus me mostram! Acredito que tenho anjos protetores, santos, orixás e irmãos de luz. Acredito acima de tudo que religião e "deuses" servem pra unir pessoas e não afastá-las, serve pra causar bem e não mal. Mas enfim, não entremos nesse mérito.

Apesar de ter me "declarado" sem religião, eu fazia um filtro de famílias de acordo com o que eu achava que podia ser bom pra mim e pra eles. Nada muito extremista sendo que eu tenho meus próprios credos.Rejeitei a minha segunda família por serem judeus que iam aos templos e seguiam tradições rigidamente. Nenhum preconceito, apenas a impressão de que me sentir "mais em casa possível" tornaria o meu ano longe de tudo mais fácil.

Bom, mas alguém lá em cima, jogou na minha mão a família perfeita, também judia e eu acabei aceitando sem pensar duas vezes! Se eu fiz bem? Bom, essa é uma conclusão relativa. Mas decidi escrever esse post porque semana passada foi um dos feriados mais importantes pra eles: o Rosh Hashaná, o ano novo judaico. O ano, se não me falha a memória é o 5.771 e algumas tradições são mantidas desde então, como comemorar ao luar e não ao nascer do sol, como fazemos.

Na minha família as crianças vão pra escolas judias, fazem o halah (um tipo de pão) toda sexta-feira e trazem pra casa, tem aula de hebreu, enfim...A sensação que tenho as vezes é de que eles vivem em dois mundos, pois é dificil num pais consumista como o EUA (falo especificamente do Natal), manter na cabeça das crianças a ausência desse nosso "Deus". Eu desconheço tudo sobre a religião deles e isso as vezes me deixa pisando em ovos! A verdade é que fico com medo de falar alguma besteira pras crianças e os pais não gostarem.

Eu estava com eles na cerimônia de ano novo. Fui convidada pra participar, assim como a Ka, a au pair brasileira da irmã da minha host! Acredito que como toda cerimônia religiosa, é emocionante. Achei muito bonito a família toda reunida, as comidas, os rituais. Mas o ponto é: Ainda era uma estranha no ninho! Não sabia o que tava sendo pronunciado naquela lingua e se acreditava o suficiente pra dizer "amen". Não sabia o porque de comer peixe e maçã com mel e de tudo ser tão doce. E é como eu disse: não é a minha religião e não foi legal lembrar disso só agora.

Comecei a imaginar um Natal sem minha família e sem acreditar que é um dia de renovar as esperanças! Não consigo nem pensar no meu ano novo sem um 10, 9, 8, 7...E lá se vai o sonho de ter a árvore de Natal igualzinha a do Esqueceram de Mim 2! Sem pinheiro com neve. Sem
presentes na manhã do dia 25, sem minha família e sem, principalmente, aqueles abraços que te fazem acreditar que tudo vai mesmo ser melhor dali em diante...O que quero dizer é, você já está longe de tudo que acredita e se você acredita e vê magia em certas datas que eles não veem, vai ser mais difícil do que pra outras meninas.

Não deem muita trela pra confusão do meu post! A cabeça tá no excesso de trabalho e na prova de quinta, mas a mensagem é a seguinte: Pense muito bem, como os outros pré-requisitos da sua lista, em que tipo de costumes você tá disposta a entrar! Se pra você tanto fizer, se joga!

Mas se como eu, Santa Claus vai fazer mais falta do que deveria esse ano, pense melhor. Vejo muitas meninas que seguem sua religião a risca no Brasil terem seu ano 100% melhor porque vão pra missas ou cultos com sua host family e dividem a mesma crença! É, literalmente, como
falar a mesma lingua! Talvez ainda mais incrível, pois apesar de vocês serem de nações diferentes, tem algo em comum que passaram a vida acreditando.

Se a família tem religião diferente da sua, lembrem-se, eles não vão participar dos seus costumes só porque são sua host family. E isso vai te fazer lembrar que você está longe de casa..."a mais de uma semana, dias e dias distantes..."

Talvez na empolgação de fechar com uma família, ou na hora do desespero, você nem olhe pra essa parte do application, mas, #FICADICA: Pense bem. Ou chute o balde.


Beijos e queijos. Até mês que vem nesse mesmo sagrado dia! :D quem quiser me acompanhar mais pertinho (isso depois que eu voltar a postar) meu blog pessoal é mayesquivel.blogspot.com

May


4 comentários :

  1. Gostei do seu texto e do seu ponto de vista, realmente é algo para se pensar bem antes de ir...
    Tbm sonho com um Natal típico como o que assistíamos em " Esqueceram de mim", quero viver isso, então vou precisar pesar a questão da religião para a minha futura família.
    Quanto mais compatibilidade com a host family, melhor será a adaptação e convivência durante o programa.


    Bjos!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, esse post foi muito bom... Você conseguiu tratar de um tema bem difícil de escrever de uma forma super light. De verdade, agora vou parar pra pensar nisso... Sou dessas também que vou ter que colocar sem religião definida...

    Obrigada pelo post e boa prova xD

    ResponderExcluir
  3. maaay nem sabia que você tava numa família Judia! O bom é que você cria um ponto de vista a respeito né! adorei o post bjubju

    ResponderExcluir
  4. adorei o tema... sou evagélica e minha family tbm.... nao tenho preconceito mas tinha certa preferencia, xatamento pelo q vc flw, a sensação de falar a msm lingua, pelo menos em um aspcto rs...

    ResponderExcluir