segunda-feira, agosto 13, 2012

Senhoras e senhores, com vocês...

... a 13ª menina do blog!

Oi, pessoas :)



Eu sou a Ana Celis, tenho 19 anos "Oh, meu Deus, só 19 anos? Você é muito novinha!" e escrevo casualmente no Há mais na vida do que apenas viver. Sou de São Paulo e estudo Direito - não por amor, por conveniência e curiosidade.

Meu amor pelo mundo começou quando eu ainda era bem pequena. Minha mãe sempre amou ouvir músicas de várias nacionalidades e me apresentou ao mundo através de seus olhos e histórias. Ela conheceu uma certa quantidade de países e não me poupou dos detalhes - nem os bons, nem os ruins.
Seu grande amor sempre foi a Inglaterra e com isso meu interesse por tudo relacionado a esse país só aumentava. Quando fiz 12 anos comecei a estudar inglês e a curiosidade sobre o que havia atrás das barreiras nacionais crescia diarimente.
Quando fiz 17 anos, ganhei um intercâmbio para o país que se transformaria no meu lugar favorito no mundo, Canadá.

E aí? O que isso tem haver com todo esse processo?
Bom, foi assim que eu conheci o programa "Au Pair" pela Experimento/APIA e foi quando eu decidi que queria fazer parte disso. Quando fiz 18 anos, passei a tomar todas as providencias necessárias para realizar esse desejo.

Mas Ana, você não acha que você é muito nova e imatura demais para esse programa? É muita responsabilidade e uma pessoa da sua idade não tem carga emocional suficiente e não poderá fazer tudo nos EUA.

Não meus amores, eu não acho que eu sou imatura e nova demais para o programa e vou dizer o porquê.
Pode parecer apelativo e pode até parecer que sou muito convencida mas, eu já vivi coisas que muitas pessoas não imaginam viver e fui criada de uma forma muito pouco tradicional. Eu sou filha única de mãe solteira e sempre digo isso pois as pessoas não têm ideia de como isso pode fazer diferença na vida de uma pessoa.
Quando eu era pequena eu tive uma doença muito complicada que só foi descoberta após 9 anos (Isso mesmo NOVE ANOS!). E depois de tanto tempo, foram necessários 2 anos de tratamento para poder me curar. Nesse tempo, minha mãe precisava de dinheiro para me manter viva, afinal, eu era doentinha, ninguém sabia o que eu tinha e eu fiz vários tratamentos caros e ineficaveis. Então, eu fui morar em Uberaba/MG com a minha tia enquanto minha mãe trabalhava dia e noite aqui em São Paulo para me manter o mais saudavel possível. Depois de um tempo juntando o dinheiro para o tratamento, minha mãe foi para Minas morar conosco. Ou seja, morei dois anos sem ela enquanto atravessava uma crise horrível de uma doença desconhecida.
Calma, calma! Depois dessa fase terrível, minha doença foi finalmente descoberta e eu pude fazer o tratamento correto e estou muito bem, obrigada! :)

Apesar de tudo, eu tive uma infância muito feliz e criativa. Fiz vários cursos ligados à arte: de balé a dança-afro. De teatro a pintura em tecido. Desfilei em escola de samba, fiz diversas apresentações e até participei de gravações. Sempre sonhei alto e não poupo esforços para realizar tudo o que sonho e me proponho a fazer. Arte sempre foi meu grande amor e até diria que minha salvação.

Com 18 anos, decidi que era hora de "sair da barra da saia" da minha mãe, arranjei um trabalho e fui morar sozinha. Então eu trabalho, estudo, sou dona-de-casa e ainda arranjo tempo de ser jovem e feliz haha.

E como anda meu processo? Bom, eu fiquei online em 02/08 e estou aguardando ansiosamente um match. E todo dia 13, eu vou estar aqui para contar para vocês como eu vejo o mundo. Da mesma forma que minha mãe fez comigo. Quem sabe você não se apaixona por toda essa loucura e queira descobrir o mundo tanto quanto eu!

Nos vemos em breve! :)



XOXO




5 comentários :

  1. Drops of Jupiter14/8/12

    Aposto em ti. história linda e com cheiro de sucesso. Muito boa sorte!
    beijo

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada! De verdade, significa muito. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Carol Rizzoli29/8/12

    Adorei seu post, Ana!!
    Vc escreve muito bem, ;)

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigada. Fico feliz em saber que você gostou :)

    ResponderExcluir
  5. Muito obrigada! De verdade, significa muito. Beijos.

    ResponderExcluir