domingo, dezembro 23, 2012

O maravilhoso mundo dos bebês!

Dia 23 na escuta e em clima de natal! Como vão vocês?

Estava meio sem ideias para o post de hoje, então me ocorreu falar de um assunto que eu amo e muitas de vocês podem vir a se interessar uma hora ou outra: Bebês! <3

As delícias de cuidar deles vai além de ver essa carinha todos os dias
Muitas garotas e garotos se inscrevem no au pair com a ideia fixa de que querem cuidar de crianças mais velhas porque elas fazem quase tudo sozinhas, sabem dizer claramente do que e quando precisam e, principalmente, passam quase o dia todo na escola. Pois cá estou, prestes a embarcar para tomar conta de um babyzinho de apenas três meses, para listar os benefícios de se abrir para essa possibilidade e desfrutar das coisas maravilhosas que podem nos ocorrer cuidando dessas coisinhas carecas, banguelas e, por isso mesmo, tão fofas! Vamos a elas.

Final de semana off: ah, o sonho de toda a au pair!Pois saiba que ao aceitar cuidar de um bebê você tem quase a garantia de que "matará" de segunda a sexta todas as 45 horas máximas de trabalho que o programa exige. Façamos as contas: se você começar a trabalhar às 8am e terminar às 5pm, lá se vão nove horas de trabalho diário, ou 45 semanais. Aí você pode dizer: "mas, Camila, tenho uma amiga que cuida de crianças mais velhas e tem todos os finais de semana off!" Sim, existem mesmo, mas aí entra outra questão favorável aos babies: ou essas meninas trabalham todas as noites, ou trabalham bem menos que as 45 horas. O segundo caso pode parecer tentador, mas não se iluda muito: você pode ter seu match com esse schedule folgado, mas, a partir do momento em que restam horas a trabalhar, a família pode solicitá-las a qualquer momento, sem aviso prévio, e nada de você contestar, porque eles estão totalmente no direito deles. Uma amiga minha viveu essa situação há algumas semanas, se negou, e adivinhem o que houve? Ponto pra quem disse rematch, e os hosts ainda sujaram o nome dela na agência, dizendo que ela não era nada flexível. Agora adivinhem se ela encontrou uma nova família depois disso. E aí, quer correr o risco?

Bebês: mais tempo livre para extras
Schedule fixo e possibilidade maior de extra: ainda por conta dos bebês não terem muitas atividades e escolas, o schedule raramente muda, e suas noites serão livres pra fazer extras, para a própria família ou para outras, o que pode ser uma mão na roda na hora de comprar aquele laptop novinho ou programar aquela viagem. Vocês podem ouvir muita gente dizer que acha puxado trabalhar de oito a dez horas todos os dias sem a pausa que geralmente existe entre as 8am e 3pm no schedule de quem cuida de kids maiores. Aí eu digo: não é muito melhor ter as noites livres ao invés de uma pequena pausa no meio no dia onde mal dá pra estudar? Além disso, babies tem de uma a duas horas de nap todos os dias, o que, pra mim, já é pausa suficiente -- e ainda conta como tempo trabalhado! ;)

Eles não questionam: muitas au pairs reclamam das crianças americanas, principalmente, por estas serem mimadas demais. Elas acham que têm sempre razão e o direito de contestar qualquer ordem que seja. Muitas vão mais longe e chegam a agredir as au pairs/nannies. Lidar com esse comportamento requer muito jogo de cintura e, principalmente, uma paciência de buda. Se você não os tiver ou simplesmente se sentir insegura ao pensar em como agiria nesses casos, cuidar de bebês pode ser mais positivo. No máximo, eles chorarão muito e inexplicavelmente. E só. Além de você não ter que explicar a eles como é importante que tomem banho ou arrumem os brinquedos, aquela parte de lidar com crianças mimadas pode ser revertida e reversível. Explico: o bebê é uma folha em branco onde os pais pintam aos poucos suas impressões. Então, be very positive: ao passar pelo menos oito horas por dia com ele, você não só não tem uma criança mimada como pode fazer um bem danado ao mundo ajudando a fazer com que haja menos um pirralho mimado no planeta. Muito altruísta, huh? Hahahaha...

Esse carinha cozinha melhor que você? Tudo bem!
Você não cozinha: se você é daquelas que não sabe nem fazer arroz, taí uma possível solução. Tá certo que boa parte das famílias se contenta em comer congelados, mas a outra parte quer a pirralhada comendo bem, logo, querem uma au pair que cozinhe bem. Nem preciso dizer que família com babies não têm essa necessidade, né? Mesmo os mais velhinho comem só a papinha pronta. E vale ressaltar: no dinner, no dish! Olha que coisa boa: nada de reclamar de ter que lavar a louça depois do jantar ou almoço.

Amor incondicional: toda criança pode te odiar de uma hora pra outra só porque você decretou que era hora de parar de brincar. Mas um bebê vai te amar incondicionalmente! E, juro, não tem coisa mais gostosa nesse mundo que acompanhar o crescimento de uma criança. Aquela felicidade a cada dentinho novo, primeiro passo e palavra... você vai se sentir mãe desse ser com o qual não compartilha o sangue e, nem preciso dizer, vai acabar amando-o incondicionalmente de volta. O tipo de relação que anima a vida de quem tá longe de família e amigos levando cabeçadas todos os dias em um país estranho.

Rotina descomplicada: não tem dever de casa, atividades full-time ou a necessidade de inventar brincadeiras mirabolantes todos os dias para entreter sua kid que fica entediada facilmente. No verão, você pode simplesmente sair para caminhar com seu baby, esticar uma toalha no parque mais próximo e brincar com ele ali mesmo. No inverno ou tempo ruim, não precisa querer morrer por ter que encontrar formas de divertir uma criança entediada, porque o mesmo que você fez naquele parque no verão pode ser feito dentro de casa. O único desafio é lidar com a rotina e um provável estado de tédio que virá uma hora ou outra. Mas acho que dos males o menor, né?

Melancia + toalha + parque = bebês felizes
No driving: vejo muitas meninas com pouca ou nenhum experiência de direção penando pra conseguir convencer a family que não vai bater com o carro no primeiro muro que aparecer no caminho da escola das kids. Eu estava nesse grupo, então, girls and boys, ainda há esperanças. Quem cuida de baby quase nunca precisa dirigir, logo, mesmo que você tenha carro só pra você, eles não exigem que você seja um Schumacher, afinal, qualquer dano no carro é pago por você, o importante é que os filhos deles estejam seguros.

Feliz natal! :)
Consegui te convencer ou ao menos te fazer considerar a ideia? Que bom. Então, se você ainda não tem, corre lá atrás de experiência com under 2, que pode ser conseguida como voluntariado em qualquer creche pública, e descubra também o quão mais fácil e até mais prazeroso pode ser seu intercâmbio! Agora curta a gente no facebook e siga no twitter. Nesse link do site da revista Nova Escola, várias reportagens sobre bebês e atividades mega simples e educativas para eles!



Beijos e mais beijos, que Papai Noel te traga um lindo match nesse natal e que seu próximo ano seja fabuloso!

Monroe.

6 comentários :

  1. Eliana23/12/12

    No meu primeiro ano de au pair cuidei de uma bebê de 3 meses e foi o meu melhor ano!! Eu tinha muito tempo para estudar inglês, mesmo que seja na forma de assitir televisão, ler, etc. Além dos pontos que você colocou como positivos, se você quiser extender o segundo ano, a sua experiência com infants (bebes) vai dar um grande diferencial no seu application, eu fui praticamente disputada a tapa por famílias! Boa sorte e aproveite bem

    ResponderExcluir
  2. Mariana23/12/12

    adoreeei seu post.. agora fiquei mais confiante em cuidar de bebes *--*

    ResponderExcluir
  3. Anônimo20/1/13

    Giselle
    Se antes eu já queria babies, depois do seu post agora tenho certeza rsrsrssr... muito bom mesmo, convence legal :) Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo22/1/13

    QUERO BABYS ... CERTEZA ! Trabalhei em uma escola de natação com bebês a partir de 6 meses ... amooo - Carla Ramos

    ResponderExcluir
  5. Nossa, to muito tentada a aumentar minha experiência com under 2 awn

    ResponderExcluir