quarta-feira, outubro 02, 2013

Ser au pair no país do seu novo amor: sim ou não?


  Maaais um dia 2 chegou e venho eu aqui escrever hoje sobre [mais] uma experiência nessa vida auperiana e pode acontecer com você também: Me apaixonei por um gringo, quero ficar perto dele – vou ou não como au pair?

  
 Bem, amigas, esta é uma pergunta que logicamente tem muito a ver com a relação que intenção que ambos tenham. Vou fazer um resumão do que ME aconteceu: eu conheci um alemão uma vez, me apaixonei perdidamente e assim foi por longos 3 anos e meio, que ele não voltou pro Brasil e nem eu nunca tinha conseguido ir visitá-lo, mas com contato constante pela internet. Quando eu comecei a pensar em ser au pair escolhi a Alemanha por saber algumas coisas pelo contato e por nunca termos ‘acabado’ com nossa relação de fato. Mas quando consegui a família e etc, eu já não estava mais indo por ele e sim por mim mesma e eu cheguei a essa conclusão bem antes de colocar meus pezinhos na Batatolândia. Durante os quase 4 anos que eu estive apaixonada por esse cara, namorei uma época e esqueci um pouco, mas era complicado quando eu falava com ele, voltava tudo. A gente se gostava mas não tinha como ficar junto, então não tínhamos compromisso algum. Eis que, conheci um sueco dois dias antes de me mudar pra Alemanha pra ser au pair, ainda em São Paulo [eu tive algum contato com ele antes de conhecer pessoalmente, mas era absolutamente nada romântico ou flertando, nada, de verdade] e finalmente eu senti que poderia realmente gostar de alguém após quase 4 anos presa a um “amor” praticamente platônico, à distância, que poderia dar certo quando eu morasse na Alemanha, mas provavelmente não daria. O alemão foi me ver na primeira semana que cheguei lá, nada aconteceu, conversamos por horas, jantamos, caminhamos. O tempo passou.

 Aí vocês me perguntam o que eu fiz: larguei tudo e voei pra Suécia pra ficar com meu novo namoradinho? Não! Meu contrato de au pair era de um ano na Alemanha e eu demorei 4 anos pra conseguir botar meus pés lá, não ia jogar tudo pro alto por alguém que eu tinha acabado de conhecer, por mais que eu gostasse. Eu e meu sueco nos apaixonamos cada dia mais, visitamos diversas vezes um ao outro e faltando 6 meses pro meu contrato acabar na Alemanha, arranjei uma família na Suécia. Cumpri minha palavra e cumpri meu ano inteiro lá, mesmo longe do cara que eu gosto, sofrendo e podendo perdê-lo. Mas isso não aconteceu, porque a nossa intenção era ficar juntos de verdade. Hoje estou aqui na Suécia com uma família maravilhosa, vivo tanto aqui quanto no apê dele e quando meu ano terminar nesta casa, vamos morar juntos. Estamos tendo tempo de nos descobrir ainda mais e ver que realmente queremos isso.

 Só que eu não vim pra cá só por causa dele, não mudei os planos da minha vida por causa dele. Eu já saí do Brasil sabendo que eu não queria voltar pra morar, eu ia tentar ficar na Alemanha, ou em qualquer outro lugar pra não ter que voltar. Mas como o conheci e adorei Estocolmo, por que não mudar pra cá? Minha idéia já era ficar no exterior pra estudar, trabalhar, poder ter o "algo a mais" caso um dia eu volte [ou tenha que voltar] pra São Paulo. Juntei o útil ao agradável e ainda ganhei da vida uma pessoa incrível pra me acompanhar nesta jornada. 

Meu sueco e eu nas férias, ainda morávamos longe...

 O que vocês podem tirar da minha experiência?

 1. Se você nunca pensou em ser au pair e quer fazer isso porque é a maneira mais fácil de ficar perto do seu boy, ok. Mas pense, muito calmamente e bem, com sua razão, pra não jogar sua vida fora no seu país por um relacionamento paixonite que você não sabe se dará certo.
2. Converse, converse muito com seu namorado. Namore a distância um pouco se preciso. Se ele estiver disposto a te esperar, vale a pena. Mas claro que tudo pode acontecer, pra melhor ou pior.
3. Não pense que sua felicidade depende de outra pessoa só porque você se sente bem do lado dela.
4. Se possível for, visite o país do cara antes de se jogar um ano lá, porque você pode simplesmente não gostar do lugar [seja cidade grande caótica ou interior monótono].
5. Ser au pair ao invés de ir morar direto com um namorado é muito bom pois vocês podem ter seu espaço, ainda conhecer maais um ao outro e namorar ‘normalmente’ morando perto.
6. Vai ser de grande ajuda se você for au pair num país que você nunca esteve e seu namorado te ajudar, estudar com você, querer ver seu crescimento pessoal.
7. Não se esqueça que ser au pair é um trabalho como outro qualquer e vai requerer de você tempo, dedicação e paciência, não ficar viajando na maionese pensando no boy.

 E vocês, o que acham? Alguma dica a mais pra quem tem um namorado gringo no país que é au pair?

No próximo post vou focar na família saber ou não sobre seu boy no país deles ;)
Enquanto isso, me acompanhem:



Beijinhos! 

6 comentários :

  1. Legal, te add no face, ótimo post *--*

    ResponderExcluir
  2. Amei seu blog pessoal, estou de seguindo. *-*

    ResponderExcluir
  3. Menina corajosa e madura!!! Muito bom ver que você pensou em si mesma, acima de tudo. Assim que as coisas ficam mais propensas a darem certo!
    Você conheceu seu boy sueco pela net?


    Beijos!

    ResponderExcluir