sábado, novembro 02, 2013

Horas Trabalhadas – O Acerto

E aí galera linda, tudo bem? Espero que sim. Hoje vou falar de uma coisa muito importante mas que algumas vezes podemos “deixar pra lá” a acertar com a família: as horas que trabalhamos.



 Não pensem que porque está nas regras de cada país as tais 5, 6 ou 8 horas diárias, que todas as famílias vão seguir à risca. Na minha família na Alemanha meu dia acabava quando eu dava banho nas crianças, mas raramente contava certinho as horas, e eu não queria parecer folgada de falar do nada “ah hoje eu busquei eles mais cedo, se virem pra dar banho e jantar”, então eu sempre fazia aqueles minutinhos a mais. De início parece coisa de gente mesquinha, mas eu fiz as contas de um mês que tava trabalhando tipo 20 ou 30 mins a mais alguns dias e vi que poderia ganhar 90 euros a mais no meu salário, se estivesse seguindo à risca. Mas como não reclamei do começo, reclamar depois de meses não ia adiantar. Então pelo menos eu acertei com eles que se alguma das crianças ficasse doente, eu ficaria só um período com ela – de manhã ou de tarde, e depois tschüss. Funcionou e me senti menos explorada pelos minutos além das 6h diárias.

 Aqui na Suécia, minha família é ótima e acolhedora, engraçados e sempre me fazendo sentir super em casa. Mas pra não ter o mesmo problema que na Alemanha, já perguntei desde o começo como seria exatamente o meu schedule e o fizemos pra fechar as 5h certinhas (mas claro que eu dou uma arrumadinha na casa quando to de bobeira e ajudo). Também outro dia esclareci pra eles que eu quero ter minhas horas a mais compensadas, por exemplo não precisar levar a menor pra creche se no dia anterior eu fiquei até mais tarde com ela porque eles não estavam. Eu sabia que ia acontecer deles falarem "ah mas te demos um mês de férias que não contam como as suas", ou seja, tenho mais um mês pra tirar, porque eles estavam viajando, mas um mês é equivalente a 100h, que em 3 meses eu já paguei ficando a mais com as crianças ou limpando a casa, então, not. Claro que sou flexível e eles também são, então nos entendemos bem, sem excessos de nenhum lado. 


 Então minha dica é: Quando for fechar o match, já pergunte especificamente quais horas da manhã você vai trabalhar e quais horas da tarde (mas com exatidão tipo “Acordar as crianças às 7, deixar na escola às 8 e aí você está off, buscar as crianças às 15h e ficar com elas até 18h.”), quando ficará livre e suas tarefas. Outra dica é também contar as horas que você está disponível pras crianças, não importa  se você está brincando com elas ou não (por exemplo, se são novinhos e dormem de tarde, mesmo que estejam dormindo, você está lá pra tomar conta! Mesmo serve pra babysitting: você pode até ir pro seu quarto depois que eles dormirem, mas você está disponível caso algo aconteça, então está sim trabalhando).

 Então, por favor, fiquem bem atentas e valorizem seu tempo, pois ser au pair é uma aventura a ser vivida e valer cada minuto! 

Beijos!
~

Um comentário:

  1. Minha maior dúvida é exatamente isto.. a questão das horas... folgas.. finais de semana livres.. etc... estou indo ano que vem para a França... e na hora de fazer o match vou deixar uma lista de perguntas prontas já hahah... perguntar da minha rotina, horas de trabalho por dia... e vou tentar ter todos os finais de semana livres..... claro que vou compensá-los neh!!?? rsrsrs adorei o Post, mto legal mesmo, se tiver como escrever mais relacionado ao assunto, acho que uma das minhas maiores preocupações é ser sincera, brasileiros neh hahaha, definitivamente, não somos diretos como os europeus! Não vejo a hora de começar minha aventura como Au pair! Bisous =****

    ResponderExcluir