quarta-feira, janeiro 22, 2014

Jack Daniels , Forever 21 e Bicicleta

Qual au pair , alíás,  qual pessoa não tem os seus segredos ? Qual pessoa não tem aquela coisa especial que seja capaz de fazê-la esquecer dos problemas?  Nem que seja por momentos breves de felicidade instantânea.


O ano de uma au pair é um ano de experimentos, é aquele período no qual  você descobrirá que , tudo que você achava que era real, era mentira e o contrário também. É um ano lotado de altos e baixos, e ambos os lados são extremos. Quando se está num momento alto, então você é a pessoa mais feliz do mundo, e nenhum ponto negativo pode deixar você mal. Por outro lado, quando se está em um momento baixo, absolutamente nada consegue te alegrar ou fazer você enxergar qualquer ponto positivo. São momentos difíceis, e foram nestes momentos que eu aprendi a inventar coisas que me dessem um pouco de alegria.
Nunca paro de me surpreender com a capacidade humana de se reerguer, regenerar , começar do zero. É sério, é incrível o quanto somos capazes de fazer .
Em um destes momentos difíceis que eu citei anteriormente , eu me achava sozinha , em outra cidade, sem amigas , sem carro e sem conhecer NADA ! Tinha acabado de ter um rematch e me mudado para a casa da nova família. Foi estranho ter que me readaptar  , conhecer e me esforçar para me aproximar de outras kids. Como começar o ano de au pair do zero e sentir tudo aquilo que sentimos nas primeiras semanas. Nada fez sentido pra mim.
Nesta nova família eu não teria carro e a distância entre a minha casa e o trem era maior do que antigamente. Porém, eu tinha uma bicicleta. Coisa que eu não usava desde os 10 anos de idade, Mas, foi essa bicicleta que se tornou minha maior companheira, e graças a ela eu descobri inúmeras coisas que me distraiam na minha cidade.

Eu morava na Walnut street - Massapequa Park - google it e vejam por si mesmas hahaha. Não foi fácil no começo, mas depois que eu peguei confiança em usar a bike como meio de transporte , tudo mudou.

Devem estar se perguntando "E daí ?"
Bom, e daí que eu tinha essas três coisas que me faziam feliz . Jack , forever 21 e a bike. É sério, acho que se não fosse por essas três coisas eu teria surtado a muito tempo. Toda vez que eu me sentia mal eu pegava a bicicleta e o jack e ia para algum parque , ficar sozinha e me distrair, relaxar. Quando não se tem muitas opções , você descobre o quanto é bom ficar sozinha , tomando o seu drink favorito, sem ninguém pra te incomodar. Estar sozinha acaba sendo algo prazeroso e não necessariamente ruim. Foi essa a minha maior descoberta no ano de au pair. Eu nunca fui de gostar de solidão, mas comecei a apreciar a minha companhia profundamente.
Então, eu ia com a bike para todos os lugares, era muito boa a sensação de liberdade. E entre o horário de levar e buscar as kids na escola, eu andava sem destino, e isso me ajudava a ficar inteira e sã no final do dia, quando eu não via a hora de poder sair com a bike de novo, tomar meu drink e claro , fazer compras.
Passei horas e horas na forever 21 , era uma terapia, conseguia me esquecer de tudo, do horário, das kids, da vida, e simplesmente ficar lá, montando looks e me divertindo, SOZINHA!
Tinha também, aqueles dias que eu ia pra longe, ler um livro, perto de algum rio com patos. Dias que eu saia só para tomar chá gelado e ouvir música e pensar o quanto eu odiava aquele cara que me enganou e eu acreditei. Dias em que eu apenas me trancava no quarto e assistia Pretty Little Liars até os meus olhos sangrarem. E dias em que eu queria ficar longe do quarto por mais de 48 horas e só voltava quando eu estivesse bem. Foram dias , meses bons. Foi um ano inesquecível para mim. Umas das coisas que eu escrevi no meu application, do por que eu gostaria de ser au pair, foi que eu também queria ser uma daquelas garotas a dizer " That was the best year of my life" , e hoje eu sou uma delas.

Eu sei que é meio estranho e desconexo esse texto, mas é complicado mesmo tentar explicar sentimentos que coisas materias tão simples podem causar em mim.
O que eu realmente quero dizer é que , em algum ponto do seu , do meu, do nosso ano como au pair, descobrimos coisas que não sabiamos sobre nós mesmas. Descobrimos maneiras de fugir das coisas que não nos fazem bem de um jeito criativo, ou não tão criativo assim. Mas o que importa é que isso acontece com todo mundo. Fato.

Espero que todas possam se descobrir, e inventar novos gostos e novas formas de se mantar sã e bem , mesmo estando tão longe de todas as pessoas que você ama. O mais importante é aprender a se amar, e ser a pessoa mais importante do seu mundo, e se tratar bem, se dar as coisas que te fazem feliz, sem se importar com o que os outros pensem a respeito dessas coisas. Se dar o que você quer :D

Hoje minha vida em SP não contém nenhum desses três itens. Nada de Jack, bike e forever 21 para mim. No fundo são as coisas que eu mais sinto falta.

Quem gostou desse post e quiser conhecer mais o meu trabalho, acesse o Pensamento Livre  e curta a minha página no facebook.



5 comentários :

  1. ótimo post! Quatro meses aqui nos EUA, me descobrindo mais forte a cada dia!

    ResponderExcluir
  2. E descobrirá muito mais a cada mês que passar :D

    ResponderExcluir
  3. Lindo texto... concordo em todos os sentidos, e compartilho do mesmo sentimento que é difícil ser expresso em palavras! :)

    ResponderExcluir