sexta-feira, setembro 30, 2016

E para cada fim, um recomeço: Próxima Estação - Austria




Hoje eu escrevo pra vocês com lágrimas nos olhos. Uma mistura de: medo, alivio, felicidade e tristeza. Hoje escrevo pra vocês, no trem com destino a Áustria, rumo a minha nova vida, nova casa e nova família.



É isso ai minha gente, eu finalizo meu ano na Alemanha e dou dois a passos a frente indo para a Áustria como au pair. Durante esse meu ultimo mês, muitas coisas se passaram pela minha cabeça. Aquele misto de, ansiedade, medo, nostalgia e saudade antecipada do lugar que chamei de lar por um ano, da família que compartilhei tantos momentos durante um ano, os momentos, os amigos, as viagens, os caminhos. Hoje eu vejo tudo isso ficar pra trás, assim como foi a um ano no Brasil, com uma ressalva, dessa vez dificilmente voltarei aqui novamente.
Eu me lembro de quando cheguei aqui, lembro exatamente do dia e da sensação. Era outono, 12 graus Celsius. Eu desembarquei sozinha no aeroporto de Frankfurt, uns euros no bolso e uma missão: Comprar um ticket e pegar um trem para Nuremberg SOZINHA. Acabei parando na estação central, sem falar direito alemão, desesperada, caindo na escada rolante com duas malas. 
Hoje, quase um ano depois, aqui estou eu, com as mesmas duas malas, só que carregada de outras milhares de experiências.  



Foi um ano muito difícil, muito mesmo. Houveram semanas que trabalhei mais de 60h, houveram outras que a saudade de casa era tão forte, que eu queria arrancar meu coração do peito. Eu fui da extrema paciência ao ápice da falta de saco, eu quis ir embora, eu quis ficar também, mas sempre soube que cada dia seria único, eu só poderia viver aquilo UMA VEZ.
Eu não apenas cuidei dos meus kids, eu criei eles. Sim eu por muitas e muitas vezes fui mãe (eles me chamam de Mama até hoje), fui também pai, irmã mais velha, tia, avó e qualquer coisa outra que eles precisassem. Fui doméstica, baba e as vezes até parte da família. Eu algumas vezes coloquei-os em primeiro plano, e outras vezes não. 

Estar nesse intercambio foi como estar sempre, entre a cruz e a espada, era como estar num balanço a beira de um precipício. 

Quando cheguei para cuidar de 2 babies (1 ano – 5 meses) e um garoto de 9 anos (que mais tarde foi diagnosticado com ADHS (déficit de atenção)), meus babies não sabiam andar, não tinham rotina, o mais velho era um carente, indisciplinado com ataques de fúria. Hoje eu deixo pra trás, dois bebes que andam, falam, comem sozinhos. Ajudam a se vestir, tem uma boa rotina e uma boa alimentação. Meu garoto mais velho, muito mais gentil e confiante.. Eu sinto com tudo isso, que eu cumpri minha missão nessa família.


(Austria)



Além disso, decidir viver mais um ano dessa aventura, da aquele aperto no coração, pois isso quer dizer, mais um ano longe da familia, amigos, Heimat, mais um ano com muitas histórias, perrengues, mais um ano de muita luta.

 

Eu posso dizer que, apesar de ter sido duro, valeu a pena. Por um ano eu tornei a vida dessa família melhor, um pouco mais fácil, um pouco mais colorida, com mais amor. Eu fui a pioneira que deixou as portas abertas pra novas meninas se aventurarem nesse mundo, com essa familia. Então, ainda que eu esteja morrendo de medo do meu futuro incerto com a nova família, eu sei que no final, o mais importante é que a gente possa ser feliz, e fazer a vida dos outros a nossa volta um pouco mais feliz também.




A nova au pair, com 18 anos, nenhuma experiência com under 2, e digamos que nada pró-ativa (me perguntou absolutamente tudo, até como tirar o passaporte), chega em 20 dias, e a única coisa que posso desejar é: muita sorte, força e felicidade. Que ela ultrapasse as expectativas e possa ser feliz lá como eu também fui. E é o que desejo também, pra vocês.
Sejam fortes, firmes, e não desistam. No final, vale a pena.
Por enquanto vou ficando por aqui, ainda com a vista embaçada pelas lágrimas. Ainda há muito choro pela frente, muita vida, muita luta e muita história.

E que venha mais um ano! Até o próximo dia 30 dessa vez, na Austria.

6 comentários :

  1. Uau! Que texto maravilhoso! Tenho estado bem sensível esses dias pois começo minha jornada como au pair em Janeiro e na Alemanha. Todo dia é um sentimento diferente, o de hoje é medo, muito medo pq sei os desafios que me esperam e também sei que vai ser difícil. Amanhã talvez eu esteja alegre, confiante, vai saber, a única certeza que tenho é que quero fazer esse intercâmbio e não vou desistir. Gostei muito de ler sua história, me motivou bastante. Parabéns por ter conseguindo cumprir sua missão, espero que eu também consiga cumprir a minha. Te desejo toda a sorte do mundo nessa nova fase.
    Bjosssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. Obrigada Gleice. O conselho que posso te dar desde ja eh: Viva um dia de cada vez. Se concentre no momento, e faça o que puder desde ja pra tornar sua vida la na frente melhor.
    Estude bastante alemao e muita sorte na sua jornada. Quem sabe a gente nao se encontra pela europa? :)
    Beijos
    Excluir

    ResponderExcluir
  3. Ai que texto lindo!!! Queria muita saber como é essa troca de um país pro outro, como dar entrada em outro ano de au pair estando fora, foi por agencia, sem agencia...
    :*

    ResponderExcluir
  4. Ai que texto lindo!!! Queria muita saber como é essa troca de um país pro outro, como dar entrada em outro ano de au pair estando fora, foi por agencia, sem agencia...
    :*

    ResponderExcluir