segunda-feira, junho 05, 2017

O dia que eu comi milho nos EUA

   Olá pessoal, como vocês estão?


   Meu nome é Júlia, fui au pair em 2009; sou psicóloga e trabalho também com orientação psicológica online para pessoas que moram ou que querem morar fora.

   Hoje vou contar uma experiência bem diferente, digamos, que vivi na terrinha do tio Sam. Quem me conhece sabe da dificuldade que eu tenho em provar novos alimentos, sempre foi assim, desde criança; o bom e velho arroz e feijão era suficiente. Este foi um dos detalhes que eu acho que esqueci, e que é parte da vida de qualquer pessoa que vai morar fora, né? A partir do momento que a gente se dispõe a sair da “zona de conforto”, precisa realmente sair. Ok, minha 3ª hostfamily (não, eu não fiquei 3 anos nos EUA! Se você não viu minha série de posts sobre matchs, clique aqui, ou então, eu posto todo dia 05! É só voltar alguns posts ;) ) era tranquila no quesito comida, a host cozinhava bem, e eu cozinhava bastante ali também, e sim, cozinhava arroz, feijão, carne, purê, comidinhas bem brasileiras, e que eles adoravam! Lembro de um dia que a host fez um purê de batatas (amo purê) com um molho que parecia molho madeira, mas conseguia ser ainda mais saboroso! Nossa, me acabei! Foi nessa casa também que provei alcachofra (amei) e aspargos (muito amor envolvido).

   Até que um dia, sábado, eu não estava trabalhando e estava “beem de boa” no meu quarto conversando com minha família no Brasil. Eu já estava adaptada ao estilo de alimentação deles e principalmente aos sábados almoçava mais tarde, até porque acordava mais tarde e tomava café da manhã. Eles comeram algo no almoço e saíram.
   
    Eu enrolei, enrolei e mais tarde fui na cozinha comer algo também. Quando cheguei lá, havia uma panela no fogão, e resolvi ver o que era né?! Curiosa! Agora vocês imaginam a grata surpresa quando abri aquela panela e vi aquelas espigas de milho lindas, amarelinhas, quentinhas, saindo fumaça! Nossa, que delicia! Imediatamente lembrei daqueles milhos que comia na praia, com sal e muita, mas muita manteiga derretida escorrendo! 

   Não pensei duas vezes, né?! Peguei um prato, escolhi a maior e a mais bonita espiga, peguei o sal e a manteiga e então ouvi: You´re gonna try? (assim, sem o "are" na frente mesmo pra fazer a pergunta, como a gente aprende na escola que tem que ser, minha kid nunca colocava! Hahaha- tradução: você vai provar?). Pensei, e respondi: We have corn in Brazil (nós temos milho no Brasil)! Ela ficou me olhando colocar a manteiga e o sal com cara de nojo, e eu olhando para ela e pensando: menina, você não sabe o que é bom!!! Até que ela soltou: Yuck! Novamente pensei: Não sabe o que é bom, não sabe o que é bom! Eu até não estava entendendo muito bem a cara dela, pois ela adorava comidas brasileiras e adorava provar tudo que era do Brasil! Estava até aprendendo a falar português através de um site, que não me lembro agora o nome!

(Minha reação quando vi as espigas de milho na panela! hahaha)



  
    Até que lá fui eu, feliz e contente e dei a primeira mordida e........IT´S SWEET!! Fiquei degustando aquele mix de sal, açúcar, milho e manteiga (muita), olhei para ela com uma decepção que não cabia em mim; e ela: what is it supposed to be (era para ser o que)? E pensei: SALGADO, SALGADO, SALGADO (of course)!! Depois, ela me contou que elas (ela e a mãe) cozinhavam o milho em água com açúcar! E pensar que eu lotei o "bichinho" de sal e manteiga! Depois disso a carinha de nojo dela fez sentido! Não sei se esse é um costume de coreanos (minha host era descendente de coreanos), se os americanos fazem assim, ou se era um hábito delas lá, mas sei dizer que foi tenso, uma das mordidas mais difíceis de se engolir! Hahaha


   
   No fim, claro, expliquei que no Brasil a gente cozinhava e comia o milho diferente, e ainda brinquei dizendo que nas praias eles são vendidos por pessoas na praia, e dizem que eles cozinham o milho com a água do mar, o que dá um gostinho todo especial! Ela acreditou, tadinha, e depois falei que era brincadeira! Hahaha (PS- ela acreditou e mesmo assim ficou morrendo de vontade de experimentar)!

   Enfim, este foi o post de hoje, uma coisinha mais leve, descontraída! E vocês, tem a mesma dificuldade que a minha? Como fazem para provar novos alimentos no país onde estão? Já provaram algo que não gostaram?


   Espero que vocês tenham gostado, e aguardo vocês no próximo dia 05!

   Beijos!!

Júlia B. Benedini - Psicóloga (e ex au pair)
CRP: 08/14965)

Um comentário :