quarta-feira, fevereiro 21, 2018

Carnaval nos Eua! Mardi Gras em New Orleans

Oi gente!
Vou contar para vocês minhas impressões sobre o "Carnaval" aqui nos Estados Unidos, o Mardi Gras, maior comemoração de carnaval que acontece na cidade de New Orleans no estado de Louisiana.

O Mardi Gras é um festival criado na Europa (especificamente Itália e França) nos séculos de 17 e 18, para comemorar a "terça-feira Gorda". ( Terça-feira que antecede a quarta-feira de cinzas, feriado religioso.)
O Mardi Gras foi trazido para New Orleans em 1699, por exploradores Franco-Canadenses, que perceberam que o dia da sua chegada era uma véspera da terça-feira Gorda, decidiram então nomear aquele local como "Pounte du Mardi Gras". Em 1703, os mesmos exploradores decidiram ter sua primeira comemoração de Mardi Gras. Desde então, o festival é comemorado nessa data em New Orleans. Conforme os anos passaram, o festival modificou o jeito de ser apresentado, até chegar nas grandes "parades" e "krewes" como conhecemos hoje.

Ja estava na minha lista conhecer New Orleans, por todas as estórias que as pessoas contam, de como a cidade é diferente de tudo que vimos aqui nos EUA, a arquitetura, a vida noturna e até o misticismo envolvidos. (Para quem assiste The Originals principalmente!)

Como eu atualmente moro no Tennessee, fazer uma road trip até Louisiana não era algo tão impossível, são 8 horas de viagem até lá. Resolvi então fazer essa viagem na época do Mardi Gras, para poder presenciar esse festival tão famoso.  Juntei umas amigas e alugamos um Airbnb.
Essa época do ano é a mais movimentada, portanto, os hotéis,hosteis, airbnbs e qualquer outra opção de estadia que você possa pensar, se esgotam rapidamente. Hotéis com boa localização tendem a se esgotar com um ano de antecedência,acredite se quiser!
Sem contar que os preços são um pouco mais salgados do que o de costume. Demos sorte de acharmos um Airbnb com um preço viável para cinco pessoas, numa localização não tão ruim. 

Começamos a nossa viagem por volta das 23:00 horas de sexta-feira, chegando em New Orleans por volta das 7 da manhã, a primeira impressão foi de que era uma cidade estranha e suja, com pessoas esquisitas na rua. O dia estava nublado, acho que isso ajudou muito nessa primeira impressão. 
Paramos para tomar café no famoso Café Du Monte, localizado na Decatur Street, e comer o famoso "beignet", os beignets são cobertos com MUITO açúcar de confeiteiro, lembram muito um bolinho de chuva para ser sincera.
O lugar estava vazio, pois chegamos cedo. O café fica aberto 24 horas e por volta das 9 da manhã a fila para comer um beignet (que custa$2,75) fica imensa! 



O carro estava estacionado na Decatur Street, mas decidimos procurar um "private parking lot" pois estávamos receosas, então estacionamos num shopping na Canal Street.

Fomos andar pelas ruazinhas de New Orleans para esperar a nossa hora de check-in no Airbnb. No nosso roteiro estavam inclusos: Jackson Square (uma pracinha fofa com igreja ao fundo), Bourbon Street, French Quarter, Voodoo Museum, Boutique du Vampyre, French Market, entre outras lojinhas localizadas em downtown.

Nessa altura do dia, umas 9 da manhã eu diria, o sol tinha começado a dar as caras, tinham mais pessoas na rua, então começamos a nós sentir bem melhor em relação a cidade. 
Paramos para ouvir os artistas de rua, o que foi MUITO bonito, encontramos muita gente talentosa pelas ruas!



Como eu disse previamente, a cidade foi explorada e colonizada por franceses, então a arquitetura é toda influenciada por eles, o que dá um charme muito especial, há quem diga que é só uma cidade antiga e suja, mas com certeza essa arquitetura da um toque diferente a tudo que acontece por lá!

O que nos supreendeu enquanto andávamos pelas ruas, além do fato que se pode beber na rua, ( para quem não sabe, nos EUA é proibido beber álcool nas ruas, não conheço nenhuma cidade além de NOLA que isso seja permitido, corrija-me se eu estiver errada!)mas enquanto estávamos andando, fomos paradas por uma van de produtos comestíveis a base de maconha. Sim!ahaha. As vans não são nem disfarçadas, elas são verdes e tem imagens por todo veículo. Perguntamos como eles poderiam vender se a maconha não é legalizada no estado, a resposta foi que eles tem permissão médica e sendo comestível eles podem vender.  Os produtos incluem: pirulito, cookie e Brownie.

Entramos no Voodoo Museum e na Boutique du Vampyre, para quem gosta de coisas místicas desse tipo é legal, se você não gosta, não vai achar nada demais para falar a verdade. O museu custa $5. 

Depois de termos tomado banho e descansado um pouco no Airbnb, fomos para a Bourbon  Street novamente, onde acontece o "fervo", decidimos não ir para as "parades" nesse dia pois estávamos atrasadas.
Na Bourbon todos os bares estavam abertos, pessoas andando e bebendo na rua, pessoas na sacada dos prédios jogando os famosos "beads" (colares coloridos, que teoricamente, você consegue mostrando os peitos,mas isso não é regra, na verdade vi pouquíssimas pessoas fazerem isso, já que todo mundo arremessa os beads, você só precisa erguer a mão para conseguir um!).
O que eu senti falta foi a música, se você entra nos bares, tem uma música de fundo,mas nas ruas mesmo não tem! Senti falta das nossas musiquinhas de carnaval, haha. Fora isso, foi muito divertido, tinha bastante gente bonita, pessoas de todas as idades, alguns fantasiados outros não. Choveu um pouco a noite, mas no geral foi muito divertido!



No dia seguinte nosso plano era conhecer um cemitério. New Orleans também é conhecida pelos cemitérios. Nicolas Cage ( que não morreu ainda!) Já tem sua tumba reserva lá. Mas o cemitério estava fechado por conta da parade que iria passar nas proximidades. 
Decidimos acompanhar a Parade. O "Krewe" como eles chamam o conjunto, como se fosse a escola de samba para a gente, era o Toth. Eles têm alguns "mini" carros alegóricos passando pela avenida, com pessoas em cima jogando os objetos para a multidão, como tradição foram jogados os colares, copos de plástico com nome do Krewe, entre outras coisas. Alguns carros são mais decorados que outros, eles tem um carro para Rainha e Rei do Krewe, algumas bandas de marcha também passaram durante o desfile (incluse brincamos que eles miraram no Carnaval e acertaram no desfile de 7 de setembro, ahah). Novamente sentimos falta da música rolando por todo o desfile, pois cada carro tinha sua música individual ou não tinha música nenhuma!



Depois desse desfile, vários colares recebidos, nossa viagem se encerrou!

Conclusão e dicas:
New Orleans é uma cidade para quem gosta de festa mesmo. 
Pode parecer suja e estranha no começo, mas ganha o coração de quem conhece!
Vários estabelecimentos só aceitam dinheiro, estejam preparados (as)!
Confesso que esperava um pouco mais do Mardi Gras, mas foi uma experiência boa e diferente. 
O Mardi Gras acontece durante um mês inteiro, se encerrando com a terça-feira Gorda, então você consegue ir em outras datas que não seja o fim de semana do carnaval. 
Acho muito válido conhecer New Orleans mesmo fora dessa época pois é uma cidade muito diferente de todas as que já passei nos EUA.

Espero que vocês tenham gostado!

Até a próxima!
Beijo, Paula.

Nenhum comentário:

Postar um comentário