terça-feira, abril 17, 2018

E se eu voltasse hoje...


Já teria valido a pena?

Com toda a certeza. Amanhã fazem apenas dois meses que cheguei nos EUA, e posso dizer que compensa sim todo o estresse que passamos para estar aqui. Certas coisas só vivenciando pra saber. E que vivência! Mas primeiro, tudo bem com vocês? Espero que sim :) 


Bom, no meu último post eu contei um pouco sobre minha chegada, falei da dificuldade com a direção e agora vou contar sobre minha host family e as semanas iniciais. Devo dizer que a direção já não é mais um problema e eu vou pra baixo e pra cima com o carro, sem medo nenhum! Ufa! Parece um pesadelo distante toda a angústia vivida nos dias iniciais. E foi um desafio que venci contando com o apoio da minha família e amigos no Brasil (eles foram essenciais), além da minha host family e da LCC. Meus hosts disseram que odiariam “me perder” (eles ficaram preocupados com essa questão, já que dirigir é a minha função principal aqui) pois ficaram impressionados com a conexão rápida que tive com as meninas (<3). Mas deu tudo certo! Ah, recapitulando, elas tem doze anos, são gêmeas não idênticas e são beeeem diferentes em muitos aspectos.  E sim, nós temos uma relação ótima mesmo! Claro que temos conflitos normais do cotidiano mas as duas são as minhas fofinhas (ouvi-las tentando falar português é a coisa mais fofa do mundo! haha). E o dog da família é o meu mais novo amorzinho. Eu nunca tive um cachorro no Brasil então to amando ter um bichinho pra dar amor, ainda mais aqui que a gente fica mais carente. 


Em suma, minha família aqui é super receptiva, as meninas são educadas e respeitam o meu espaço, ao mesmo tempo em que me incluem nas atividades, nos jantares, etc. No spring break (período em que as atividades escolares entram em recesso aqui nos EUA) ganhei uma semana extra de folga e como eles não avisaram com muita antecedência não tive muito tempo para planejar uma viagem nem tinha nenhuma conhecida que pudesse viajar comigo. E o que eu fiz? Fui “caçar” meninas com viagens programadas no grupo do facebook e acabei encontrando três meninas, todas desconhecidas entre si, que iam para Las Vegas, Arizona e Utah! E duas semanas depois me vi curtindo a rua mais badalada de Vegas e depois fazendo hikes em Utah e explorando o deserto do Arizona! Caí de pára-quedas na viagem e foi uma das melhores experiências da minha vida! 




Lower Antelope Canyon, um dos lugares mais incríveis que já conheci.


Monument Valley: local onde foi gravada uma cena do filme "Forrest Gump". (RUN, FORREST, FUN!) 





E porque já valeu a pena? Bem, além dos lugares e pessoas que já conheci, além da possibilidade de vivenciar a cultura americana no dia-a-dia (e ver que sim, muita coisa é como nos filmes!!) e além da relação ótima que tenho com minhas meninas, tem todo o crescimento pessoal, o amadurecimento e a resiliência que fazem parte do pacote. É difícil? É sim. Sinto falta da minha família e amigos? Todos os dias. Mas vale muito a pena, afinal tudo vale a pena quando a alma não é pequena, hehe. No próximo post falarei um pouco sobre os objetivos e metas pro meu ano de au pair, porque acredito que ter em mente o que você pretende ao vir pra cá é essencial pra aproveitar o tempo da melhor forma possível e se manter firme nos dias difíceis. 



"Caminante no hay camino se hace camino al andar".

Um beijo gente,

Valquíria 

Facebook
Instagram






Nenhum comentário:

Postar um comentário