quarta-feira, julho 14, 2010

Caso ou compro uma bike? (ser ou não ser da família, eis a questão)

Desde quando eu só pensava em fazer parte do programa que ouvia meninas discutirem sobre isso! Agora chegou a minha vez. Eu realmente sempre busquei por uma família que fizesse eu me sentir em casa! O mais perto de casa possível, i mean. Na MINHA opinião a gente pode trabalhar distância, homesick e qualquer outra coisa com amor e cuidado. E não importa se ele vem do Brasil ou do quarto do lado.
Pra quem não sabe eu estou em Chicago e cheguei aqui na sexta-feira passada! Cuido de uma baby de 2.5 e um boy de quase 5! Mom stay home!
Preferi, ao contrario de ouvir muitas reclamações e opiniões, ter by myself, minha própria experiência. (seja ela boa ou não). Escolhi ser membro da família e não me importo MESMO de ajudar em casa, pôr as coisas na lavadora de louças, ou trocar a roupa da lavadoura pra secadora, ou recolher roupas sujas, ou qualquer outra coisa que por hora não seja minha obrigação! Não me importo de ser chamada 20 min antes do previsto pra ajudar porque a baby está doente e precisa ser levada ao médico e não me importo de ficar off 20 minutos além do normal porque meu garoto me pediu pra esperar ele outside quando ele chegasse do acampamento.
E sabem porque? Simplesmente porque é o que eu faria se estivesse em casa. Terminando de jantar ou esperando meu sobrinho chegar da escola.
Eles não podem e nem devem fazer da coisa de "ser parte da família" uma via de mão unica. Eles fazem, eu faço. É um trabalho em conjunto e é isso que muitas meninas não conseguem entender!

Como diria minha mãe: É tudo venha a nós. A vosso reino NADA.
Não tô julgando ninguém, apenas tentando escrever aqui o outroo lado do trabalhar e morar sob o mesmo teto.!

Tem gente que prefere ficar off e correr pro basement. Tem gente que está desse lado do oceano apenas pra ser au pair por 45 horas por semana. Se tem uma coisa que o programa de au pair te permite e ensina até é a fazer suas próprias escolhas! Você pode escolher sua família (sim, se você estiver disposto a esperar), escolher seus amigos, escolher o que vai fazer com o $ que ganhar e escolher quem você vai ser pra essa família que vai te acolher por no mínimo um ano.


Você pode escolher fazer seu trabalho e ir embora. Mas quer saber? A au pair que estava aqui antes da minha chegada fez essa escolha e não me surpreende o fato de ninguém aqui ter sentido falta ou estar perguntando por ela (triste ao meu ver). Eles deram xau e sequer perguntaram se ela voltava!
Eu, por outro lado, tô lutando por cada espacinho no coração dessa família, porque essa foi a minha escolha, Antes de qualquer intercâmbio, ou outra coisa, eu escolhi fazer mais alguém feliz além de mim mesma nesses doze meses!


Hoje quando eu fui colocar meu boy pra dormir ele pediu pra eu ler pra ele e quando ele foi dar "night night" ele me disse, "i love u till the moon and back" e quer saber? Isso pra mim não tem preço! Fico feliz em saber que essa família tem uma mesa com 4 lugares pra jantar e que eles puxam 1 cadeira da mesa da sala pra eu me sentar junto!

Eu não sei se você que está lendo agora já fez essa escolha. Se não, fica aqui meu conselho: se sentir amada e dar amor pode tornar seu ano, distância e saudade muito mais fáceis de lidar.


Fico feliz de ter chegado aqui e visto pelos meus próprios olhos que existe sim boa família, gente que se importa com você, que quer saber se vc tá com fome, se precisa de mais um cobertor e te diz "i love u" antes de dormir e "morning sweetie" quando vc acorda!
Essa é a minha experiência. Essa é a minha família. Mas você pode fazer do seu ano o que você quiser. Basta você escolher com carinho tudo que você pretende fazer com a sua vida e com a desses pequeninos que você vai amar em 2 dias mesmo que eles destruam seu corpo de cansaço!

Abra seu coração, se entregue. E lembre-se sempre: Você está "gastando" um ano da sua vida num lugar que não é seu. Se for pra sofrer, se for pra fazer os seus sentirem sua falta em vão, volte pois você tá perdendo tempo.


E por fim, como diz o quadro no meu banheiro: "Home is where you hang your heart"


Beijos e queijos.




May


ps: sorry pelo delay do post! baby dodoi torna tudo mais hard! :(

7 comentários :

  1. Mayy... simplesmente ameeeei seu post... como é bom ler posts de pessoas como vc... muita gente acha q está indo a passeio rs mas se na nossa casa a gente tem q lavar louça e ajudar de vez em quando, pq lá tem que ser diferente né... parabéns pelo post.. e tudo de bom pra vc nessa experiência maravilhosa q vc esta vivendo =)
    Beijoss

    ResponderExcluir
  2. Maaaaay, eu quero ser assim...não me importo em ajudar e fazer o que faria em casa.

    beijos

    ResponderExcluir
  3. O problema não é ajudar, ajudar até quem não se sente membro da família ajuda. Ontem mesmo passei 1 hora 30 a mais, porque os pais saíram pra jantar, e não ganhei um 'obrigada'. Eu não tava nem achando ruim, mas fiquei puta porque nem agradeceram. Existem famílias e famílias... Bom que você deu sorte, porque também faço tudo pelas minhas kids e eles são uma pedra de gelo.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, May!
    Concordo totalmente, também faço tudo que posso!
    Agora mesmo enquanto eu tava lendo o post, meu menino mais novo veio aqui e disse "Hey Mary Helen, guess what?" and hug me. hahahaha
    Vejo que você tá feliz, isso é o que importa!
    Boa sorte!

    ResponderExcluir
  5. Muito interessante seu post... acho que vc está certa...
    Se todas as famílias fossem legais isso seria maravilhoso, pena que não é bem assim... mas de qualquer maneira pelo menos a gente se esforçando e dando nosso melhor, já ajuda em alguma coisa.... Bjos

    ResponderExcluir
  6. Adoreiiiiiii seu post May!!!!
    Eu to na mesma sintonia que vc, eu tbm sou assim com a minha familia, de ajudar com coisas que nao estao no agreement mas q fazem parte de coisas que a gente faz por educacao ou pra ter uma boa relacao com a ''vizinhança'' e ate agora o retorno que eu tenho recebido é ótimo! Eles sao bacanas comigo, acho que demos sorte! Bjaooooooo

    ResponderExcluir
  7. Concordo plenamente com voce! Isso é exatamente o que eu planejava fazer quando chegar minha vez de ser au pair. Acho muito legal tentar fazer parte da familia, afinal, voce vai conviver com essas pessoas por um ano ou mais, e viver num clima ruim deve ser péssimo... acho que isso pode ate ajudar sentir menos saudades de casa.
    mas claro que isso depende muito da familia te acolher bem, mas pelo menos voce esta fazendo a sua parte!
    beijos

    ResponderExcluir