quarta-feira, setembro 12, 2012

Aquele sobre a convivência


Queridos leitores, olá (novamente)! Eu curto TANTO vocês, que estou aqui no meu segundo dia pra falar um pouquinho mais sobre a host family. Na verdade esse seria meu post de outubro, mas rolou a oportunidade de posta-lo hoje, então aqui estou.

O último post foi sobre a privacidade da família, que tem tudo a ver com o assunto de hoje.

Como se dar bem com a Host Family?

Novamente é um post totalmente pessoal, até mais que o post de ontem (caso seja possível, né). O pedido veio da colega de blog, a Bruna Totti, e eu vou falar da minha experiência pra vocês. Como sabem (pelo menos eu ESPERO que saibam): não tem uma fórmula exata, cada um é cada um, assim como cada família vai ter seu jeitinho especial.

Eu acho que, num primeiro momento, todo mundo tem que agir meio igual, pelo simples bom senso. Você não vai chegar na sua host family na sexta, sair com as amigas no sábado, voltar depois do jantar e esperar que eles achem normal. Eles não te conhecem, em primeiro lugar. Então, mesmo sabendo que você tem seus 21, 24, 27 anos e é adulta, não vão esperar uma atitude dessas logo do início. Então você tá falando pra não sair, Bruna? Não, amor, eu só estou falando pra você ter bom senso. Se você quer sair, converse com a sua host ou o seu host, conte que você tem conversado com as meninas desde antes de chegar e elas te convidaram pra sair. Saia, se divirta, MAS, PORÉM, CONTUDO, TODAVIA, volte para casa cedo. Vai mostrar pra eles que você é responsável e não está lá só pra aproveitar.

A atitude mencionada ali em cima tem muito a ver com o que eu vou falar agora. Nas primeiras semanas, eu acho super importante passar tempo com a host family, mesmo se não estiver trabalhando. É legal porque eles vão ver que você não se importa de pegar um pouquinho do seu tempo pra conhecer a família melhor. Não estou dizendo TRABALHE. Estou dizendo: fique assistindo meia hora de tv com a sua host ou conversando com eles depois do jantar. Não precisa fazer isso sempre, mas EU ACHO legal porque demonstra que você se importa com a família num todo, não só em cuidar das kids.

Não quero dizer pra vocês fazerem mil e uma coisas  pra agradar a host family (tipo fazer laundry dos hosts, por exemplo). MAS, novamente, não custa lembrar que você, linda au pair, mora na casa deles, e ajudar com algumas coisas é mais do que normal (e, eu diria que, até esperado). Lá em casa, eu jantava com eles todos os dias. Então, nada mais justo que ajudar com a louça algumas vezes - até mesmo no fim de semana. Não morri por ajudar e eles não achavam que era uma obrigação minha. Sim, eu sei que têm famílias que iriam abusar e deixar a louça lá pra você lavar sempre, mas nem todas são assim. 

Eu cuidava só do bebê o dia inteiro, ficava com ele e a irmã juntos só umas 2 horas por dia. Todos os dias o baby dormia umas 3 horas, mais ou menos. E gente, querendo ou não, não tem muito o que fazer mais depois de um tempo, sabe? Então eu ajudava da minha maneira: passava aspirador na sala (que eu ficava), na den, no meu quarto, na cozinha e na sala de estar. Em compensação, ela passava no meu quarto também, quando estava limpando o resto da casa. Já limpei vidro, porque não há livro suficiente, nem compras online suficientes, nem amigos online no facebook na mesma hora que você sempre, então eu arranjava o que fazer. E NUNCA nada disso passou a ser minha responsabilidade.

Como dizia a minha host: "you give a little to take a little", meio que uma mão lava a outra. E eu acho que, querendo ou não, esse é um dos melhores ditados pro ano de au pair de todo mundo. Acho que não é nada muito do além: se você for bom pra eles, eles serão bons pra você. (ÓBVIO QUE EXISTEM EXCEÇÕES, não estou dizendo que isso é regra.)


O que vocês acham, leitores? Qual é o segredo de vocês pra ter uma boa convivência com a host family?

Um comentário :

  1. mel schiewe18/10/12

    Quando eu descobrir, eu conto ;D

    ResponderExcluir