sexta-feira, dezembro 07, 2012

de família pra família

Olá leitores queridos do blog, tudo bom com vocês? 

Finalmente chegamos ao último dia 7 do ano! 2012 tá chegando ao fim e espero que 2013 seja muito melhor pra todos vocês, e que a parceria que iniciamos nesse ano ainda possa durar muito mais! 

Mas ainda temos o post desse mês! Que vai ser sobre... FAMÍLIA
Sim amigos! Família! A nossa mesmo! Não a host family!

(musiquinha do casos de família ao fundo!)

Esses dias divagando numa conversa com a nossa colega de blog Mary, começamos a comentar sobre as reações de nossos familiares ao programa au pair.
A minha família por exemplo, alterna entre três estados de espirito, basicamente:
  • 1. gozação descarada: HAHAHAHA VOCÊ SENDO BABÁ? AI ISABELLA, INVENTA OUTRA VAI! 
  • 2. curiosidade: mas como que vai ser? pra onde você vai? de quem você vai cuidar? quando você vai? o que sua mãe ta achando disso? 
  • 3. provocação: Isa, vai lá brincar com a priminha encapetada vai! você precisa treinar! se já ta cansada agora, pensa depois que você tiver fazendo o dia todo como você não vai ficar, hein?!
Não é que eu não tenha apoio da minha família. Eu tenho! Minha mãe se preocupa, pergunta, se interessa... Só que além dela, o restante dos familiares sentem essa NECESSIDADE patológica de fazer comentários ácidos. (acreditem: não quiseram me dar referências por medo de se envolver com o governo americano. fato real!)
Quando tinha a minha idade, a minha mãe fez planos de ir pro Japão trabalhar por algum tempo, juntar dinheiro e depois voltar. Não preciso nem dizer que foram, se não os mesmos, os pais dos parentes que me azucrinam hoje em dia que convenceram minha mãe que seria uma má idéia. Acredito que esse seja um dos motivos pelos quais ela nunca quis ser contra a viagem, mesmo não se sentindo totalmente confortável com a idéia de ter a filhinha longe. E adivinhem só? Depois de alguns anos... Todos eles foram pro Japão! 

E além de todo o incentivo (ao contrário) que me dão, ainda tenho que aguentar todos os tipos de piadas. É só eu falar 'oi' pra algum dos meus priminhos (com os quais eu sempre tive uma excelente relação, só pra constar) que já começam as provocações, que ao mesmo tempo que duvidam das minhas capacidades, ficam tentando me fazer provar que consigo. Fora as correções e supervisão constante. "Isa, não é assim. Isa, não é assado." 

(eu e a pirralhada no último final de semana em família!)

E aí que expondo o assunto as outras menina do blog, obtive mais algumas "histórias de família"!

A irmã da Caru ta grávida, então, no caso dela, a pressão é no sentido de "você vai deixar sua irmã com um bebe recém-nascido aqui pra ir tomar conta do filho dos outros?"

Já no caso da Bru e da Bee, foi depois de voltarem pro Brasil que as famílias começaram a arregaçar as manguinhas. A Bru vira e mexe faz babysit pra diversos parentes e a Bee chegou até a dar aula de inglês pra criançada dela. A diferença entre elas é que a Bru sempre gostou e fez numa boa, já a Bee sente isso meio que como um "deboche". 

A família da Mary ta mais próxima da minha, só que no caso dela, é a mãe quem põe os entraves... O discurso inclui principalmente que "patroa é diferente de parente" e que ela não vai aguentar viver em casa de família. 

Já no extremo oposto de todas nós temos a Monroe! Que sempre gostou muito de ficar com as crianças da família e apoio é o que não falta! Além de sempre reunir a galera por vontade própria, mesmo sem necessidade, é incentivada por toda a família a ir fazer o au pair mesmo! 

E vocês? O que tem a dizer sobre a família de vocês? Tem apoio? Não tem? Há folga? Deboche? Como a notícia foi recebida por todo mundo? 
Deixem suas histórias nos comentários gente! 

Pra finalizar, só queria completar que não odeio a minha família, que apesar de tudo ainda acho que são a melhor família do mundo e tenho certeza que isso é apenas uma maneira meio torta deles de demonstrarem preocupação comigo! 

Não se esqueçam de curtir a nossa página no feicribruique, seguir nosso tuiter e dar uma espiadinha no canal!

Feliz natal e feliz ano novo pra todo mundo! 

Beijos!

6 comentários:

  1. Jeff Vagalume7/12/12

    HAHAHA ótimo post, a minha família se resume nesses três perfis que você falou, mais um quarto perfil de poucas pessoas que apoiam totalmente, minha avó, tia e irmã apoiam 100% e acham q sou super capaz de fazer isso hehee...
    já os outros acham perigoso, que não sou capaz, que eu devia ir como missionário -_- kkkkk mas eu acharia bem falta de ética eu usar dinheiro de igreja para ir como missionário e ficar só na farra lá fazendo meus cursos pessoais e etc...
    Quanto aos meus pais eles aceitam numa boa, seja qual for o tipo de intercambio que eu escolhesse fazer... os meus amigos no geral já esperavam que algum dia isso fosse acontecer e a maioria de amigos e parentes acham que eu não voltarei mais... mas isso só vou saber quando eu chegar lá XD

    ResponderExcluir
  2. Vanise7/12/12

    A gente escuta cada uma e o mais gostoso de tudo foi o prazer que eu tive de mostrar tudo o que conquistei durante a minha viagem ao brasil nas minhas ferias.... esfreguei sem querer as minhas conquistas na cara de muita gente que nao dava nada pra mim.... o sabor da vitória não tem preço. Pra muita gente pode ser ridiculo optarmos por sermos au pair, mas para mim foi simplesmente uma porta que abriu para o caminho do sucesso!

    ResponderExcluir
  3. isabellaks7/12/12

    mas sabe que é nisso que eu penso Vanise? que na hora que eu tiver lá mostrando que sou mais do que capaz eles vão ter que engolir a seco todas essas provocaçõezinhas de agora! HAHAHAAHHAH

    ResponderExcluir
  4. isabellaks7/12/12

    HAHAHAHAHAH é complicado aqui pq eu tenho uma família GRANDE, ou seja, chega até a SOBRAR gente!
    então é aquilo apoiar apoiam... mas... não perdem uma oportunidade de encher o saco! HAHAHAH
    o que importa é que A GENTE sabe que é o melhor pra eles e depois eles vão ter que engolir! HAHAHA

    ResponderExcluir
  5. Thalita7/12/12

    Eu não contei pra minha família toda kkkkk só contarei quando estiver d malas prontas e se Deus quiser com a passagem na mão kkkkkk Tenho familia no interior, então eles estão muito por fora mesmo.... Mas só fiz assim pq a minha familia por parte d pai, q é a q tenho aqui na cidade me infernizou um pouco, ai decidi q só iria contar pro resto da familia, minha avó tias por parte da minha mãe (elas são super corujas), quando eu já estivesse com tudo pronto !

    ResponderExcluir
  6. isabellaks8/12/12

    MELHOR COISA QUE VOCÊ FEZ!
    sério! se eu soubesse a dor de cabeça que teria me dado teria mantido segredo até o último minuto!
    hoje em dia eu não falo mais nada do andamento do meu processo pra ninguém! assim evito MUITO estresse! e evitaria muito mais se eles sequer soubessem! HAHAHAA

    ResponderExcluir