segunda-feira, junho 16, 2014

O que é que eu vim fazer aqui mesmo?


Assim que eu me sinto.. ou melhor, me sentia, até escrever no blog. Mas achei legal mesmo assim falar sobre o assunto.

Na verdade foi depois de um final de semana com uma amiga que comecei a refletir: "o que eu vim fazer aqui?", "qual é a finalidade do meu intercâmbio?" Ela dizia que a nossa vida aqui é uma festa, que nossos pais investiram demais em nós para virmos para os EUA ser BABÁ. Peraí! Eeu não vim ser babá. Eu vim viver uma vida nova, viajar, explorar, aprender e o preço disso é cuidar de crianças. Mas tudo é questão de ponto de vista. O nosso trabalho é visto como fácil mas só quem o vive sabe o quão difícil é. Porque é fácil falar: "Ah, eu sou babá nos EUA, moro com a família e estudo" quero ver falar: "Eu trabalho com crianças, moro com os meus chefes fora do meu país e vivo uma cultura totalmente oposta a minha".


Eu enxergo essa "vida" como um modo de conhecer o mundo gastando muito pouco (e recebendo muito pouco também, sejamos sinceras!) mas nunca um modo de fazer dinheiro. Aliás, ninguém deveria vir por isso. Crescemos muito pessoalmente e profissionalmente aqui. Levando os estudos a sério, você pode sim voltar com um currículo recheado.
Eu decidi vir porque amo criança, para amadurecer (realmente funciona!), se tornar uma pessoa mais responsável, fluente em inglês (estudos) e claro, queria viver as coisas que via nos filmes americanos. Confesso que é difícil você juntar dinheiro, comprar roupa/make/sapato/bolsa e ainda economizar pra viajar! O jeito é viver mesmo.. e fazer o que tem vontade! E foi andando pelo Facebook de uma conhecida que eu achei um post que descreve E-XA-TA-MEN-TE o que eu sintia antes de vir:




"-Mãe, você não ta entendendo! ... 
Quero acordar com o noticiario da CNN, e suas milhões de informações ao mesmo tempo da NASDAK, do Obama, da previsão do tempo. Quero comer ovos e bacon no breakfast, mesmo sabendo que essa graça toda vai acabar 1 semana depois, comigo chorando de saudade do pãozinho francês na chapa. Quero entender os americanos e seus, enormes, cafés da starbucks. Quero parar no cruzamento, e ao lado ver um School Bus, aquele onibus escolar amarelo, que tanto vi nos filmes.


E a bandeira americana por toda parte então? Ah, ela não me deixará esquecer, nem por um minuto sequer, aonde cheguei.

Quero ver esquilos no meu quintal e ver neve no Natal. Quero provar o gosto da saudade e o preço da liberdade. Quero olhar no espelho e não mais me reconhecer. Quero ir a jogos de baseball, e comer hot dog de pão e salsicha. E esquecer que já ouvi falar em batata palha um dia. No máximo um katchup.

Quero congelar na neve e me arrepender até o ultimo fio de cabelo do dia em que reclamei do calor. No calor, vice-versa. Vou olhar as fotos da neve com olhos cheio de nostalgia e pensar "Ah como era linda! E nem era tão fria assim, vai." Hoje eu falo em Estados Unidos, mas poderia ser a Bolivia, o Canadá, Londres. Que fosse até mesmo Marte! O sonho é meu e eu sei o quanto ele me custou sonhar. O que eu quero é falar "Eu consegui!" e consegui mesmo.
Há exatos 10 meses larguei meu país pra morar nos Estados Unidos da America. Os melhores meses da minha vida! E pra vida toda. Nada foi em vão, e tudo veio na hora certa.
Sempre digo que, tudo o que quis, Deus me deu. E hoje to aqui. Aproveitando cada minutinho dessa oportunidade maravilhosa que o Pai me da. Vivo tudo o que descrevi acima, e muito mais! Coisas que, as vezes, os olhos custam a acreditar. Vivo 24 horas dentro de um filme"


(Créditos ao texto - Aline M.)

E é isso tudo que eu tenho vivido aqui. Coisas que jamais viveria se continuasse onde eu estava. Eu passo perrengue, eu me divirto, eu fico confabulando como conversar com a família sobre determinado assunto.. é a famosa EXPERIÊNCIA e quando dizem que isso não se põe na mala, acreditem! É a maior bagagem que você pode trazer!


(Aquele que retorna de uma jornada, não é o mesmo que aquele que saiu)

Fiquei bem pensativa, e resolvi fazer esse post para que as meninas que queiram ser Au Pair terem em mente o que querem dessa viagem. JAMAIS venham para uma experiência como essa para fugir de problemas, pois eles irão sempre com você. Venha disposta a passar coisas que você nunca imaginou viver e descobrir que você é mais forte do que pensava. Que a saudade é o preço que se paga por momentos inesquecíveis. Pois tudo que você viver aqui, será uma grande lição, por mais que o aprendizado as vezes seja doloroso. E o mais importante, a sua experiência não será a mesma que a minha. Poderemos aprender as mesmas coisas, mas de formas diferentes.
Leiam bastante sobre o programa, blogs, conversem com ex-au pairs, mas jamais tirem conclusões preciptadas. Como disse no primeiro post, eu vim com uma cabeça e agora tenho outra totalmente diferente.. e olha que estou há apenas 4 meses!


(O mundo é um livro e aqueles que não viajam lêem apenas uma página)

E você, quer vir por que? =)

Ah, babado e confusão: lembram-se da menina que aretuzou no meu carro?! (Não? Veja aqui!)  Pois é, me pagou! #asaupairspiranodinheiroextra




10 comentários:

  1. Lindo texto sentirei tudo isso também!
    Eh que eu nem falo as experiencias são iguais mais pode ser mais doloroso pra um e pra outro nao!
    De uma coisa eu sei que eu vou viver tudo isso e jamais esquecerei :D
    Thank you

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim mesmo que se pensa Mariane =)

      Excluir
  2. Ahhh q saudades da neve! Hehe ótimo post!

    ResponderExcluir
  3. Cada vez que leio um texto parecido, fico pensado, meu Deus com eu quero isso, viajar, amadurecer, saber que vou sentir saudades, mas que se não for por isso nunca poderia vivenciar o que estou prestes a vivenciar... Enfim cada dia me apaixono mais e mais e tenho certeza da minha decisão... Vou morrer de saudades da minha família e amigos, minha cachorra, mas vai ser INACREDITAVELMENTE MARAVILHO...
    Parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Ariane. O que você vive aqui não viverá em lugar nenhum. Aproveite e venha de cabeça bem aberta! ;)

      Excluir
  4. Cada experiencia que leio me da mais e mais vontade de mergulhar nessa aventura! estou muito empolgada, nao vejo a hora de terminar minha graduação para poder ir :))))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boaaa.. não recomendo trancar facul. Você acaba gostando daqui e depois ter que voltar pra terminar coisas que deixou pela metade é complicado!

      Excluir
  5. Adorei o texto!!! Ai que me dá mais vontade de ir. Gosto mto de criança, mas não ao ponto de viver pra cuidar delas. Maaas tudo tem seu preço na vida e esse é o que eu posso pagar hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha criança, host family.. aguentamos e pagamos tudo Nuara!!

      Excluir