quinta-feira, novembro 27, 2014

Sobre ser honesto...com você e com a host family

"A lie keeps growing and growing until it's as plain as the nose on your face." - The Blue Fairy

Todos nós conhecemos a historia do boneco de madeira que sonhava em ser um menino de verdade. Pessoalmente, esse filme foi o mais assustador que eu já assisti. No entanto, ele nos traz lições muito importantes para a nossa vida. E acredite, você irá pensar muito sobre essas lições durante o programa de Au Pair.

Durante todo o meu processo sempre li, nos grupos do facebook, sobre as brigas, discussões, desentendimentos, pedidos de rematch e etc. E uma coisa que sempre notei foi que muitas aupairs não são completamente honestas consigo mesmas e com a host family. Eu mesma quando cheguei, em três dias eu estava surtando querendo ir embora de qualquer jeito, chorando manhã e noite. Qual era o problema? Absolutamente nenhum. Porem isso faz da situação uma mera "birra" ou "frescura"? Não. 

Nós temos uma ilusão muito bonita do que é viver nos Estados Unidos, e quando chegamos aqui vemos que não é bem assim. Especialmente em se tratando da nossa nova "casa". Aqui não é a nossa casa, não somos parte da família e nunca teremos a liberdade que temos na nossa casa casa mesmo. Concordo que tem meninas que se adaptam muito bem e que existem sim famílias fantásticas. A minha mesmo, não tenho do que reclamar. Mas, como tudo na vida, esse também é um relacionamento que precisa ser construído com muito trabalho dos dois lados. E o mais importante: HONESTIDADE E TRANSPARÊNCIA.

Vejo muitas meninas que aguentam e aguentam desaforos de host moms e dads, das kids principalmente e não fazem nada, não falam nada. Umas, porque tem medo de terem que pedir o rematch, outras porque acreditam que "devem" algo à família que as escolheu. Não! Pára tudo! Ninguém aqui deve nada para ninguém, para começo de conversa. Segundo, a gente também pagou para entrar no programa, a gente também tem regras a seguir, a gente está longe de casa, longe da nossa zona de conforto. Nos meus três primeiros dias surtados, o que eu mais fiz com a minha host mom foi conversar, com aquele inglês horrível e entrecortado pelo choro, mas nós conversamos e eu tentei explicar como estava sendo difícil me adaptar, como estava difícil comer, como estava sendo difícil simplesmente ficar aqui. Foi fácil? Não. No, entanto não deixei nada fora, do que estava sentindo. Com o passar dos meses minha confiança foi crescendo e eu fui me adaptando um pouco melhor e minha host mom foi me conhecendo e eu também acabei por podendo fazer perguntas e passei a conhece-la melhor. Mas, podem ter certeza que sempre que tem algum conflito entre as crianças e eu. Entre o schedule ou qualquer coisa, eu sou a primeira a procurar a minha host mom e conversar a respeito. 

Gente, as host families quando entram no programa elas também são instruídas como lidar com a gente que vem de outro país com outros costumes e etc. Elas estão, no minimo, dispostas a tentar conhecer você e aprender com você e ajudar você a se adaptar. Se você não aprender a se comunicar e a confiar na sua host family com quem você irá passar um ano, talvez mais em um país com uma cultura bastante diferente da nossa, como você acha que vai conseguir ficar longe da sua família e dos seus amigos que já te conhecem de trás pra frente? Amizades, namoricos são ótimos e ajudam e muito. Mas o dia-a-dia, os costumes da casa é entre você e a sua host family. E cada uma é de um jeito.

Criança mal criada tem no mundo todo. Aguentar mal criação ninguém é obrigado. Converse sobre como você pode disciplina-los, até onde você pode ir. Não custa nada perguntar e voce vai estar mostrando que se importa, e que quer que a coisa funcione.

Schedule, uma palavra apenas: ANTECEDÊNCIA. Quer sair, quer ir a algum evento, planeje e discuta. Horas de trabalho também. Assim ninguém é pego de surpresa.

Namorado novo...ah, conheça a pessoa primeiro, não precisa contar de cara. Afinal o que você faz nas suas horas vagas não diz respeito a sua host family. MAS, não custa nada informar, ao menos, onde está indo e o que está planejando. Eles são responsáveis pela gente, e você não esta morando numa pensão.

No mais é isso, gente! Não custa nada ser sinceras. Acreditem, pode nos poupar muitas dores de cabeça. e como já dizia o velho ditado: "A mentira tem perna curta"

Uma hora todas as frustrações e angustias virão a tona. 

10 comentários:

  1. ADOREI o post! Sinceridade e conversa é tudo... Adorei mesmo.
    Beijos


    www.livinganamericanlife.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Adriane Guerreiro :)

    ResponderExcluir
  3. Anônimo27/11/14

    Muito bom, gostei muito tb. ^^

    ResponderExcluir
  4. Muito bom Julia! Eu me identifico com o post. Eu tenho uma dificuldade enorme de falar com meus hosts. :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari, sou super travada para conversar tbm...mas essa eh uma otima oportunidade, com essa experiencia, de comecar a tentar e ir aprendendo a lidar com isso....e vai te ajudar pro resto da vida... ;)

      *eu mesma ainda to trabalhando nisso hehehe

      Excluir
  5. Olá gostaria de saber ,vocês tem grupo no whatsapp? Ou recomenda algum? Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Julia Carvalho, se voce perguntar nos varios grupos do face, voce ira encontrar meninas que montam grupos no face para diversos assuntos. Nós aqui do Blog, por enquanto nao temos.

      ^^

      Excluir
  6. Oi, Julia! Parabéns pelo post. Sinceridade é muito importante com a família, realmente tornam as coisas mais fáceis. Sempre que possível pego um tempinho para discutir algum assunto com a Gastmutter (hostfamily) seja em relação às crianças, seja em relação ao mundo ;).

    ResponderExcluir
  7. Muito bom Julia! Também concordo que conversas sinceras podem evitar grandes problemas! :)

    ResponderExcluir