segunda-feira, julho 13, 2015

Os encontros fazem as mais belas viagens

Oi pessoal, tudo bem? Com muito aperto no coração vou chegando as minhas últimas semanas do intercâmbio, dia 08 de agosto embarco de volta para o Rio. E com o final do programa se aproximando tão rápido, a única coisa que eu consigo pensar é em tudo o que eu vivi e aprendi durante esse ano fora, e bom... Achei que valeria a pena compartilhar com vocês também, sei que muita gente faz esse tipo de post quando vai chegando no final, mas cada pessoa tem uma experiência, uma vivência diferente da outra, então é sempre interessante compartilhar.



Nos meus primeiros meses aqui tudo foi bastante diferente e talvez um pouco assustador, me acostumar com uma cultura, educação, rotina... enfim, me acostumar com muita coisa diferente das quais eu estava acostumada no Brasil.

Sem contar que me vi numa situação na qual eu não me via há muito tempo, sabe aquele frio na barriga em primeiro dia de aula numa escola/curso novo que você não conhece ninguém mas você quer dar seu melhor pra que as pessoas gostem de você? Foi mais ou menos assim que eu me senti, tive que sair da minha zona de conforto e ser "cara de pau" para conhecer novas pessoas, novas amizades.

No começo me sentia bem sozinha mas depois de algum tempo você começa a conhecer pessoas, e essas pessoas que você conhece te apresentam a outras pessoas e assim vai... E quando você se dá conta você deixou de ser aquela au pair sozinha do começo e já virou melhor amiga de infância de várias pessoas e no final das contas, você acaba criando uma pequena família com várias culturas e nacionalidades diferentes, o que só acaba te enriquecendo de coisas boas e divertidas.

Não vou dizer que o trabalho é fácil, porque todo mundo tá careca de saber que é perrengue... Tem momentos em que você quer explodir suas crianças, tem momentos que você tá tão de saco cheio que se pergunta "por que diabos eu aceitei isso?", mas ai tem aqueles momentos em que você rola no chão rindo com as crianças, que vocês fazem uma gostosa (talvez dolorida) guerra de travesseiros e aquele impagável abraço seguido de um "eu te amo" de uma sinceridade enorme que só as crianças são capazes de ter.

Pra mim, apesar de todas as situações difíceis que a gente passa quando está longe da família/amigos, de dificuldades com a host family etc, vale a pena passar por essa experiência e depois voltar pra casa com uma bagagem de vida muito maior do que você esperava ter na sua idade.

Bom gente, é isso, espero que vocês gostem do post e... Até o Brasil! :)

Bisous

Facebook
Instagram
Blog pessoal

3 comentários :