quarta-feira, setembro 30, 2015

Vida de aupair terminando e uma aventura pela frente ( parte dois)

Olá, gatinhos e gatinhas, hoje tem mais um post meu, especial para vocês porque esperar um mês é muito tempo. Vamos continuar a história com a ideia Maluca das montanhas? Vamossssss
                       

Depois que eu falei pra minha hostmother quer sairia em outubro, ela surtou, ficou puta, fechou a cara e não conversou comigo por um longo tempo. Mas depois tudo voltou ao normal. Até que, certo dia, durante o café da manhã, com meu hosto em casa, a história voltou à tona. Nós estávamos à mesa e ele disse:
- Luana, a minha esposa comentou comigo que você quer sair sair no final de outubro. Eu não sei se vai ser possível. Eu viajo em novembro e não temos outra aupair. 
 Eu fiquei tipo:
- Oi?????
Dai ele disse:
- Veja bem, não é um não, mas a gente precisa pensar sobre.
- hosto, eu não estou pedindo para sair, eu estou avisando. Como vcs vão fazer, eu não sei. Mas meu ultimo dia aqui será, no máximo, 13 de novembro.
- mas você não pode sair assim, do nada.
-lógico que eu posso, no contrato está escrito que eu preciso avisar com duas semanas de antecedência, eu estou te dando três meses. Estou dando minha cara a tapa e corre do o risco de você dizer que quer que eu saia em duas semanas. Se eu quisesse prejudicar vcs, eu avisaria com duas semanas de antecedência e iria embora. É como foi conversado com a hosta há duas semanas: eu irei abrirão de duas semanas de férias se for necessário. Vcs não precisam me dar os dias livres nem me pagar.
Nesse momento a hosta falou:
- Mas, Luana, vc não é só mais uma funcionária, você é parte da nossa família, você não pode nos abandonar assim. O contrato é mera formalidade.
- Não, hosta, eu não sou e nunca pedi para ser parte da sua família, eu sou funcionária, podemos ter uma relação amigável, mas eu tenho minhas atividades, tenho meus horários a cumprir e recebo um salário ao final do mês, o que me caracteriza sim como uma funcionária sua. 
A hosta levantou da mesa com tudo, olhou furiosa para mim e disse:
-  Ok, se vc quer assim. 
E se mandou. O hosto tentou colocar a culpa nas minhas costas, deu a entender que eu estava sendo mal agradecida e tal, mas eu não me importo. Para mim a situação estava clara.

Mais ou menos no começo de setembro eles encontraram a nova aupair e clima lá e, casa melhorou. Contudo, perdi muito meu ânimo para continuar a ser sociável e fazer parte do cotidiano da família, também não me sinto bem vinda. 

Mas agora nada disso importa, o que realmente importa é que em 23 dias eu estarei livre. Em 30 dias eu viverei um sonho de morar no meio dos Alpes do leste da Suíça e ter uma vida tranquilo, cercada por estudos, aulas de português, trilhas, comida fresquinha e limpinha, chuva e ocasionalmente neve e muito, mas muito amor do lado do bofe.

No dia 15 contarei como nos preparamos, um imprevisto tenebroso que rolou e como está nossa expectativa para essa viagem maravilinda.

Beijos e até dia 15

Um comentário :