quarta-feira, outubro 28, 2015

O tal do feeling - e porque você deveria esperá-lo

Ois! Mais um dia 28, e cá estou eu de volta pra falar de um assunto que toda aspirante a aupair já ouviu pelo menos uma vez na vida:


~o tal do feeling~

Parece blablabla, e eu mesma cheguei um dia a acreditar que fosse. Mas acreditem, existe.
E sei do que tô falando, porque falei com ~apenas~ onze famílias.

11 meus amigos. Quase cancelei o processo na agência, porque não aguentava mais trocar tanto email, aquela dor de barriga toda vez que a musiquinha do skype tocava, pra não conseguir me identificar com nenhuma família.

Uns diziam que eu estava sendo exigente demais. A agência me pressionava pra fechar logo com alguém. Mas também tinham aqueles que falavam que enquanto eu não me sentisse segura, eu não deveria fechar com ninguém. E foi esse o conselho que eu segui,

E não me arrependo!

Meses atrás eu era muito mais cabeça fechada do que sou hoje (vantagens do intercâmbio = amadurecimento), e na época eu só viria pra cá se fosse pra California (sou praieira, me julguem) pra cuidar de uma menina, e que não fossem muito ligados à nenhuma religião (porque eu não sou nem um pouco, e não iria querer me sentir obrigada a participar de nada)

Hoje estou em NY (lugar que nunca tive nem vontade de visitar, me julguem novamente), cuidando de dois meninos, numa família judia.

E apesar de eu continuar achando que sou muito mais a cara da California, vejo que tomei a melhor decisão possível.

As vezes criamos preconceitos em nós mesmos, e a vida vem e te mostra que não é bem assim que funciona. O que eu acho ÓTIMO! Sempre devemos deixar nossas portas abertas!

Vejo meus hosts mais como amigos do que como chefes, Meu host na verdade parece meu irmão mais velho. Já pegou meu celular e começou a conversar com os possíveis dates do meu Tinder haha

E quem me conhece, sabe que eu sou assim: informal e meio doida.
Exatamente como é minha host family.

Quando eles apareceram no meu perfil, eu não queria nem fazer skype, pois julguei pelo local. Acabei fazendo por livre e espontânea pressão. Foi a única família que eu me permiti ser eu mesma: fiz o skype de pijama, tatuagem aparecendo, porque na minha cabeça eu não fecharia com eles mesmo.

Foi eu desligar o skype, e me veio aquele sentimento.

o tal do feeling!


Existe, e é lindo. Depois daquele sentimento de "não existe nenhuma família pra mim", veio o sentimento de "meu Deus eles precisam fechar o match comigo!".

Eles não são perfeitos, assim como eu também não sou. Mas nos damos bem e nos respeitamos (e nos divertimos muito), e é isso que importa.

Grande parte do seu ano será perto deles, então confie no seu coração. Se ele bater mais forte por uma família, que seja por quem eles são, não por onde moram.

E não se desespere se ainda não tiver achado uma que tenha feito ele bater mais forte. Demora as vezes, mas uma hora acontece. E te garanto, você vai sentir quando achá-los. =)


Até o mês que vem!

Instagram: @jukhourii

2 comentários:

  1. Que bom Ju que no fim você encontrou uma família onde você se sente à vontade, tive uma curiosidade rsrsrs espero que você possa responder, você ficou quanto tempo on-line ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karina! Fiquei dois meses e meio on!

      Excluir