sábado, março 19, 2016

Bom dia Brasil!!!

Oi gente!

Tudo bem?

Primeiramente gostaria de dizer que escrever no dia 19 é uma delícia, pois em cada março eu posso celebrar o meu aniversário com vocês! Parabéns pra mim!!!! :)

Antes de começar o assunto de hoje, vou lembrar quem eu sou pra quem não me conhece: Fui Au Pair de 2008 a 2010 e de 2013 a 2014, encontrei o meu príncipe encantado americano, casei e hoje sou uma residente permanente dos Estados Unidos da America.

Depois de 1 ano e meio sem visitar o meu querido país, estou aqui lhes escrevendo diretamente da casa dos meus pais em São Paulo, que estou desde o dia 9.


Hoje eu quero compartilhar os meus sentimentos durante essa visita, pois essa com certeza é diferente! Quando a gente tem uma vida de gente grande nos EUA (a.k.a. pagar aluguel, contas, comida e trabalhar) a visão muda, ah e como muda!

Minha preparação pra essa viagem foi um tanto quanto diferente, como a gente tá "kind of " tentando ter um bebê, e nosso país tendo a crise de dengue/ zika, meu marido e eu preparamos um kit para que eu evite ao máximo ser picada por nosso inimiguinho Aedes. 


As minhas roupas foram tratadas com esse liquido da embalagem amarela, os aerosóis são repelentes com 40% de DEET, o spray é 100% de DEET para espirrar nas roupas que não foram tratadas, além disso tem o repelente em creme para o rosto (não, não é exagero, eu super atraio insetos, já fui picada no rosto que meu olho ficou enorme!) e hidratantes sem fragrância (saudades do meu cheirinho bom dos hidratantes da Bath and Body Works)

Além do fator Aedes, é a primeira vez que estou passando tanto tempo longe do meu marido. Eu como uma pessoa que gosta de estar no controle da casa, é um pouco apavorante deixar tudo nas mãos dele e dos meus sogros!

Pra ser sincera, eu estava freaking out por ter que vir pra SP, pois moro no subúrbio da Virginia e a vida lá é bem tranquila... tava com medo mesmo de não conseguir me virar sozinha! Mas coisas assim é como andar de bicicleta! A gente nunca esquece!

A chegada no Brasil foi uma alegria só, apesar da família estar passando por um momento triste devido a perda de um primo querido. Tentei fazer surpresa a todos, mas no final das contas, meus pais tiveram que contar para alguns parentes devido a perda.Eu queria surpreender a minha vó e também evitar os pedidos de iphone e coisas do tipo! A veinha ficou totalmente sem reação (agora descobri de quem eu puxei o meu delay de reação) e brava por todo mundo ter escondido a minha chegada dela.

Meus sentimentos de estar aqui:

Dá uma vontade enorme de não ir embora! Minha vontade é de ligar para o meu marido e pedir pra ele entrar no próximo avião para SP. É muito bom estar perto da familia e amigos, muito bom! Isso não tenho nem o que comentar, certo? 

Hoje eu entendo a frieza americana! Não desmereço que os americanos são muito mais educados que os brasileiros, mas aqui a interação das pessoas e o senso de ajuda é muito maior!

Me sinto honrada por estar nesse momento tão delicado para o nosso país! É cada arrepio que eu tenho quando vejo as reportagens na TV! Não vou colocar minha opinião aqui, mas fiquem a vontade de me mandar um e-mail pra conversar sobre minhas impressões políticas e a possível catástrofe do Trump ser nomeado a candidatura da presidência dos EUA. O meu e-mail você pode achar aqui.

Encontrei um amigo que morou 8 anos nos EUA e retornou ao Brasil, amei ouvir que apesar da crise, ele se readaptou sim e está super feliz e realizado profissionalmente!

Estar aqui no aniversário e dos meus pais (sim... só são alguns dias de diferença entre um e outro!) é muito bom! Guess what... churrasco e familia reunida na hora da janta hoje!

Vou ficando por aqui e até o mês que vem!

Beijos! 

Um comentário :

  1. Que maneiro a sua história super adorei ...
    Me identifiquei com vc

    ResponderExcluir