Desculpe o transtorno, preciso falar das minhas hostkids - Parte 1


Oi pessoal, eu cuido de uma bêbe de nove meses e dois meninos de três e quatro anos e eu sou tão apaixonada pelas minhas hostkids que faltam nove meses para eu dar tchau e eu já fico pensando em como isso vai ser difícil. Por isso, quero dividir um pouco com vocês sobre meus três terrorzinhos anjinhos e quem sabe até ajudar vocês na escolha da hostfamily pelas idades das crianças.
Eu decidi escrever esse post, porque, eu não sei se isso acontece com todo mundo, mas eu tenho a impressão que as minhas hostkids são as mais bonitas, são as mais inteligentes, são as mais fofas que a de qualquer outra pessoa (tipo mãe babona).

Eemeli – O mais velho
Qualidades: É o melhor irmão mais velho que eu já presenciei na vida (analisando friamente e não como a au pair babona). Ele cuida dos outros dois irmãos, não sente ciúmes, tem total senso de responsabilidade (sabe o que pode ou não fazer), dita as regras para o irmão mais novo, tem muita coordenação para qualquer esporte (já anda de bicicleta sem rodinhas, sabe nadar, sempre é o primeiro nas corridas e pratica luta-livre, floorball e baseball), não precisa de ajuda quando vai ao banheiro e não precisa de ajuda pra se vestir...Enfim, ás vezes até esqueço que ele tem só quatro anos.
Defeitos: Como nem tudo são flores, a maturidade do meu homenzinho de quatro anos cai por terra quando ele simplesmente houve um NÃO!!! Gente como essa criança chora! Se eu digo que ele tem que colocar uma calça X ao invés da que ele quer: CHORO. Se eu digo que vou fazer massa ao invés de arroz e ele quer arroz: CHORO. Se eu digo que acabou o pão e ele quer pão, adivinhem só? CHORO. Ele chora no mínimo umas três vezes por dia no meu horário de trabalho, já aprendi até a ignora, mas no começo era complicado.
Melhor história: Um dia os pais foram trabalhar e deixaram a bebê na cama deles, ou seja, em qualquer momento a bebê podia cair. Como eu sei que ele é muito responsável pedi que ele fosse olha a irmã enquanto eu fazia o café da manhã deles (veja bem, não falo finlandês, as palavras foram exatamente VENLA – NUKKUU – KATSO, que significam VENLA (a bebê) – DORME – OLHA) e então a bebê acordou, eu não ouvi e ele mandou o mais novo me chamar e quando eu cheguei lá ele estava segurando a Venla pelos pés para ela não cair. Vai dizer que não é uma hostkid super útil para ajudar? Sem ele a bebê teria se estabacado no chão.

Verneri – O do meio
Qualidades: Ele é a minha explosão de fofura, pra ele tudo está bom, quase tudo que eu peço ele faz ou consigo negociar sem manhas. Come mais que eu, e é de uma sensibilidade indescritível. É aquela criança bem bobona, que ri de tudo mesmo quando não tem graça, basta eu olhar pra ele e ele já está rindo.
Defeitos: Além de ser bem egoísta com a irmã (ela não pode chegar perto dos brinquedos que ele está brincando que ele empurra ela ou tira os brinquedos da mão dela), ele está numa fase de perturbar o Eemeli. Tudo que o mais velho pede ou manda ele fazer, ele não faz de birra. O mais velho por sua vez ou bate ou chora.
Melhor história: Seguindo essa onda de “encher o saco do irmão”, um dia os dois acordaram e o mais velho estava de mau humor e o mais novo de bom humor. O que bastou pra ter um café da manhã no mínimo divertido, Verneri estava com um sorriso enorme no rosto comendo seu mingauzinho e o Eemeli estava mega emburrado e pediu para o mais novo tirar o sorriso da cara, o mais novo, sem falar nada, continuou olhando e sorrindo. Eemeli mega irritado pediu para eu mandar o Verneri parar de sorrir para ele, só que eu não conseguia parar de rir, porque era muito fofinho aquele sorriso e muito sem porque ele ter que parar porque o outro estava incomodado. Sendo assim foram longos dez minutos de um pedindo para o outro parar, o outro sem responder nada somente olhando, sorrindo e, por isso, fazendo o irmão chorar. Até que o mais velho pegou seu prato e foi comer em outra mesa. O mais novo seguiu com seu sorriso olhando para o além.

Sobre como é a nossa convivência, ambos os meninos agem comigo com muito respeito e geralmente acabam me obedecendo. Pode ser que antes de obedecerem tenha tido muito choro e birra, mas no fim eu sempre acabo conseguindo dobrar eles. Uma vez alguém me perguntou se eu apanhava das minhas crianças. Gente, como vocês podem ver na foto ao lado eu moro com o Batman e o Superman, APANHO TODO O DIA!! Mas sempre é de brincadeira, só teve uma vez que o mais velho me bateu na maldade, botei de castigo e nunca mais aconteceu. No geral eles são bem carinhosos e ganho abraço todo dia.
Eu ainda quero falar de como é a minha rotina com os dois mais velhos e também contar da personalidade da mais nova e a minha rotina com ela. Entretanto o post ficou muito longo e por isso vou deixar pra falar mês que vem sobre.


Abraços e continuem acompanhando.

Paula Franz Araujo

Comentários

  1. Haha adorei suas kids, apaixonada por elas. Muitas meninas não falam muito sobre as suas kids por aqui (não que eu tenha visto), no geral fala do intercâmbio, viagens, dificuldades (o que eu gosto muito também), gostaria que escrevessem mais textos assim, me divirto e me emociono por muitas vezes. Parabéns pelo texto Paula Franz :)

    ResponderExcluir
  2. Querida, muito obrigada! eles são umas fofuras mesmo! Post que vem vou falar sobre a bebe, que é a minha paixãozinha!

    ResponderExcluir
  3. Demais!!! ������

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os 3 casos mais assustadores do mundo Au Pair

Gírias + Expressões = Você precisa conhecer!

Mais 11 tipos de au pair: esses são os amigos que você terá!