sábado, maio 13, 2017

O dia que quebrei o pulso na Holanda - Parte 01

Olá meninos e meninas,
Tudo bem com vocês?

Hoje vou contar um pouquinho da minha experiência com os hospitais/médicos da Holandinha.

*post dividido em dois*

Como toda boa historia tem um começo, ai segue a minha:

Era Holiday das meninas, e os pais foram viajar, eu de férias, resolvi esquiar na Alemanha... dai, vocês já veem que boa coisa, não é.

O dia estava MARAVILHOSO, a neve branquinha, um dia ensolarado, e eu aprendendo a esquiar... simplesmente não podia ser melhor.

A primeira coisa que aprendi, foi o famoso “pizza point” aparentemente é com esse movimento que você controla a velocidade (eu que o diga) kkkk




Anyway, desci duas vezes, e estava me achando o máximo, até que paramos para um café e resolvemos que aquela seria a ultima descida... e foi... Por algum motivo eu não consegui desacelerar e cai!! O tombo mais bobo da minha vida ... mas, nessa brincadeira quebrei o pulso.




Para o meu desespero eu soube imediatamente que meu pulso estava quebrado...

O que é DESESPERADOR, porque você está sozinha num pais diferente, um host no Brasil e o outro no Vietnã e eu sentindo uma dor horrorosa.

Ah vale frisar 02 pontos:

1 – nunca tinha quebrado nada;
2- quando se trata de dor/doença/dodói, eu sou pior que criança.

Enfim, fui levada até um hospital na Alemanha, onde constataram a quebra do pulso, e já queriam marcar a cirurgia para o dia seguinte.

Eu, querendo ir embora, disse que faria a cirurgia na Holanda mesmo, que era lá que eu morava e queria ir pra casa – já que ia demorar uma noite de qualquer jeito.

PIOR ERRO!!!

Pra quem não sabe a Holanda tem essa politica IRRITANTE de self-healing (odeio), onde paciente e médico esperam para ver como o corpo vai reagir ao problema, e TUDO no mundo é tratado com paracetamol!!

Eu, brasileira até nos ossos (literalmente), não aguento essa politica, gritava de dor, queria remédios, queria a Drogasil, Droga Raia, Drogaria São Paulo, tarja preta, queria cesárea, queria a cirurgia, queria sarar pra onteeeeem!!!!!!

Os médicos, do outro lado achavam que como eu já estava de gesso (colocado na Santa Alemanha), o processo de cura já estava começando, e que eles não iam fazer nada nas próximas 02 semanas pra ver como ia ficar.

Quase morri; dai veio a intervenção divina.

Aqui na Holanda, tem essa historia de “médico da família”, e esse medico é o seu salvador.

Descobri que ele manda e desmanda na sua saúde. Ele que te encaminha e que abre as portas do paraíso, digo, hospital pra você.

Ok, a minha medica - linda, maravilhosa - sentiu peninha de mim, e escreveu um pedido para que um cirurgião me analisasse, detalhe isso tudo em 24 horas.

Finalmente, o cirurgião me atendeu, exatas 24 horas após a minha queda =/

O cirurgião então teve a brilhante (Dutch) ideia de não fazer a cirurgia, e sim, puxar meu braço e recolocar o osso no lugar.

SEM ANESTESIA.

Obviamente, isso não funcionou comigo – já que eu já estava chorando só com a ideia.
Foi então que ele resolveu aplicar anestesia SUPER FRACA e LOCAL, me deixando acordada e ainda sentindo dor.

Quando esse homem pegou meu braço, achei que ia morrer – juro.

Eu senti ele recolocando o osso no lugar. Descobri, então, o significado de espernear. Era perna braço choro grito, tudo que você possa imaginar.

Horrível e pra minha desgraça não foi o suficiente, o osso ainda não estava no lugar.

Ainda sim os médicos resolveram dar mais uma semana.

Mais uma semana de dor.
05 dias depois, liguei para minha medica da família, e pedi, novamente por um encaminhamento. Porque não queria mais esperar.

Foi ai que FINALMENTE, consegui minha cirurgia.
UMA SEMANA depois de ter quebrado meu pulso.




E ainda tenho que escutar gente dizendo “nossa uma semana depois, que rápido não?”

To be continued...

Gente, mês que vem eu continuo com os próximos capítulos

Muitos beijosss


Lí Arbex

Nenhum comentário:

Postar um comentário