sábado, junho 17, 2017

Relembrando meus primeiros dias como au pair

Olá Pessoal! Meu ano na Finlândia está quase acabando, e claro, começou a parte nostálgica de relembrar o vivido até aqui e então, hoje resolvi falar de como foram meus primeiros dias de adaptação na casa da minha host family.
Minha host foi me buscar no aeroporto, junto com o irmão dela e a filha mais nova. Os dois foram puxando assunto o caminho inteiro e eu estava mega nervosa porque meu inglês era crítico, quando chegamos na minha cidade, já conheci os pais da minha host e um outro irmão. Cheguei em casa, ela só falou que estavam todos dormindo, que iria colocar a bebe para dormir e apontou pra onde seria meu quarto. Me senti mega perdida, descobri o banheiro pra tomar um banho e fui dormir.


Acordei no outro dia, já estavam todos acordados, o host de cueca terminando o café na cozinha, a mesa do café da manhã posta só pra mim e os dois kids mais velhos me olhando com uma cara mista de entusiasmo e desconfiança. Tomei meu café sozinha, fui buscar os presentes que trouxe, comecei a fazer amizade com as crianças, troquei duas palavras (pela primeira vez) com o host e fiquei sem saber o que fazer. Toda vez que alguém falava comigo eu entendia só metade, inclusive concordei em viajar e trabalhar no meu primeiro fim de semana sem saber. Minha host ficou em casa nos meus primeiros dez dias então eu basicamente não trabalhava e somente brincava um pouco com as crianças, o lado ruim é que eu tava sem horário ainda e acabava ficando disponível o dia inteiro para eles. Só comia quando me ofereciam e por isso passei muitaaaaa fome no início. Depois do décimo dia eu trabalhei 5 dias 12 horas por dia, a host foi viajar e o host ficou encarregado dos mais velhos e eu da bebe. Depois desses dias intenso, duas semanas respirando 24 horas a hostfamily e ao mesmo tempo não se sentindo confortável em lugar algum os dias de paz chegaram, quando ela voltou ao trabalho eu comecei a trabalhar só as horas combinadas, já tinha liberdade para abrir a geladeira ou me 'jogar' no sofá. Pouco a pouco fui me sentindo em casa. 

O que quis relatar aqui, é que a adaptação há uma nova vida sempre vai ser complicada, irá depender dos dois lados você se sentir o mais em casa possível, mas que é normal o começo você se sentir um peixinho fora da água, se perguntar o que carvalhos estou fazendo aqui ou até mesmo começar a pesquisar passagens de volta pro Brasil. O que se tem que fazer é dar tempo ao tempo.

Beijos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário