quarta-feira, novembro 01, 2017

DESISTI - voltei atrás no meu match. Por quê?



Oi gente linda, tudo bem?
Iniciando mais um dia, mais um mês com a corda toda!! Que novembro seja liiindo, cheio de boas energias para nós! \o/

Sobre meu post, queria antes fazer um adendo e dizer que na verdade já tenho meu match querido e estou contando os dias para o embarque (vivaaa!). Mas antes deste, eu havia fechado match com outra família e voltei atrás. Contarei o porquê e deixo um #ficadica para que talvez possam não precisar passar por isso.

(Um I’m sorry antecipado pelo textão. Quando terminei, vi que ficou bem extenso, então vou dividi-lo em duas partes, tá!)

Quando iniciei meu processo para ser Au Pair na Holanda, eu tinha em mente que demoraria em torno de 4/6 meses para encontrar minha host family, depois de ficar “online”. Pensava isso pelas pesquisas que eu fiz, por uma média do que as meninas contam nos grupos do Facebook e também para preparar minha cabecinha ansiosa e não criar expectativas demais em cima de um prazo curto.

Eis que por um golpe de sorte (ou destino, não sei), UM dia (sim, 1 dia) depois de estar online, recebi uma mensagem da agência dizendo que havia uma família interessada em fazer um skype comigo. Fiz o tipo da pessoa calma, mas por dentro estava A LOUCA. Aceitei falar com eles, claro. Coração batia forte, empolgação mil. Como assim? Mas já? 

Li a carta família, gostei e já podia me imaginar embarcando. 
Hoje, quando paro e penso, entendo que nessa época eu estava mais empolgada com a ideia de ir logo do que com a família em si. 
Marcamos skype, estudei e me preparei (muito importante isso, a propósito). O primeiro skype foi muito legal, família simpática, me deixaram ver as kids (são 3 boys). Eles se apresentaram, falaram sobre a vida pessoal de cada um e a vida em família, suas rotinas, e eu contei tudo sobre a minha. Foi uma conversa de quase 1h e bem agradável. Naquele momento não cheguei a sentir o famoso “feeling” que tanto falam, e lembro que comecei a achar que essa coisa de feeling não existe - e que basta nos sentirmos bem em relação à família que estamos conversando, termos coisas em comum, combinar schedule, etc. 

Saí do skype feliz, mas sem muitas pretensões, afinal, as famílias gostam de conversar com várias meninas antes de escolher uma. Mandei um e-mail agradecendo e fiquei no aguardo. No outro dia quando acordei, mensagem da agência dizendo que a família gostou de mim e que queria marcar o segundo skype. Travei. Frio na barriga. Mas segui em frente - preparei perguntas mais específicas sobre expectativas, regras da casa e schedule e eles prontamente responderam todas. 
Ao final da nossa ligação, me disseram aquela frase que toda futura Au Pair quer ouvir: “achamos que você poderia ser a nossa nova Au Pair, você aceita?”. Não pensei nada muito e na hora disse SIM. Quando a ligação acabou, a agência me perguntou o mesmo, e eu novamente respondi que sim, confirmando. Estava empolgada com o fato de conseguir meu match tão rápido, e poder embarcar logo. Em não ter precisado ficar em uma espera agoniante de meses. Em resumo, me deixei levar pela emoção do momento. 

Passadas algumas horas do meu estado de êxtase, minha ficha começou a cair...lembro de pensar “eu tenho um match, eu tenho uma família, vou para Holanda em dois meses”. Uma onda inesperada de insegurança passou por mim como uma corrente elétrica e senti borboletas no estômago. Pela primeira vez em muito tempo comecei a me questionar se tinha feito a escolha certa. Passei aquela tarde revivendo tudo que tinha conversado com aquela família e como eu verdadeiramente me sentia em relação a tudo que falamos e a eles, especificamente, afinal passaria um ano inteiro na companhia deles. Constatei que não havia absolutamente nada de errado com eles, pelo contrário, foram extremamente amáveis. Mas por algum motivo algo me dizia que não eram eles. Sempre fui muito espiritualizada e acredito muito em momento certo, pessoa certa, energias, etc. Conseguia me imaginar na Holanda, mas não me visualizava naquela família, naquela casa. Não consegui dormir naquela noite e segui pensando sobre o assunto. “Mas agora eu já aceitei!!”. O que aconteceria se eu voltasse atrás? Ia prejudicar meu processo? E se a agência não confiasse mais em mim? Não iria mais conseguir uma família? E se demorasse muito?

Para minha “sorte”, meu match aconteceu em uma quinta-feira e às sextas-feiras a agência na Holanda não tem expediente, o que me deu mais um dia (e um final de semana) pra pensar. Decidi por voltar atrás no match. Achei que deveria tentar encontrar uma família que fizesse eu sentir o tal feeling, mesmo não sabendo se de fato ele existia (...).
**************************************

Gente, dia 13/11 volto aqui para postar a segunda parte e o desenrolar dessa confusãozinha, belê?!

Um beijão, e até lá!

Instagram: daianitobaldini
Blog: Eu + Rahysa temos nosso bloguinho onde além do Au Pair, compartilhamos sobre os preparativos do nosso ano de intercâmbio e (após nossa chegada) sobre viagens, perrengues, rotinas e afins! Confere lá: A Ponte Blog.

Dai ❤

Nenhum comentário:

Postar um comentário