quarta-feira, março 18, 2015

Querem que os ame como se fossem meus

#MaesdeAluguel

Aviso de antemao que este e um post com opinioes fortes e nao tao "Alice" quanto algumas pessoas podem esperar que seja. Sao minhas opinioes sobre as experiencias que tive desde que sentei nesse banquinho de motanha russa que minha vida virou desde que cheguei aqui. Aviso tambem que nao sou sujeito de briga, intriga ou discussao, mas que curto muito conversar e compartilhar opinioes. Ao final do texto, sinta-se plenamente a vontade de se expor. 

4 familias em 13 meses. 9 criancas e 7 pais ausentes. 9 criancas sem disciplina, respeito, que nao sao ensinadas amor proprio ou ao outro. 7 pais com grana pra pagar uma Au Pair, mas economizando migalhas nas compras da semana. 7 pais que escolheram ter filhos e trabalhar 9, 10, 12 horas por dia. 7 pais que escolhem que outras pessoas criem seus filhos. Eles nao conhecem os filhos que tem e abriram mao de uma rotina de amor e escolheram a rotina do descontrole. Palavroes, agressoes verbais, falta de paciencia com aquele ser que e apenas reflexo deles mesmos, desordem conjugal, disarranjo familiar.

Eles vivem consequencias de uma vida desestruturada e mesmo assim resolvem alem de se casar, parir! #pqp "Matheus" aqui e balancado por todos, exceto pelos pais. Nao estou generalizando, sei que tem muito pai e mae que poem a mao na massa e gostam de sentir o quao bitter-sweet e criar e orientar aquele serzinho que nasceu deles. De uma noite de apenas sexo, ou amor, aquele serzinho e parte deles. E mesmo que adotem! (e o caso da minha atual familia), aquelas criancas serao reflexo da criacao deles.

O papel de Au Pair pode ser bastante arriscado e ao mesmo tempo bastante prazeroso. A linha tenue entre familia que te recebe, patroes e pes no saco estara sempre presente. E um saco dar satisfacao, e uma merda ter que lidar com falta de respeito de crianca, pior ainda e lidar com a responsabilidade da sua escolha. E, irma... voce escolheu vir pra ca pra cuidar de criancas, e nao espere que tudo sejam flores. Espere menos ainda que seus hosts serao pessoas legais que estao querendo receber uma pessoa para fazer parte da familia. Nao e isso que eles querem. Eles querem mao de obra barata, e se esta mao de obra barata puder exercer bem o papel proposto, excelente. Do contrario, bye-bye.

Algumas familias esperam que voce seja mãe, babá, parte da família, irmã mais velha, mas na boa, nao interessa o que queiram que você seja, quem escolhe o que você será é você. Venha pra ca sem expectativas, mas com planos. Nao venha cega pelo encantamento de um programa barato, que te da a oportunidade de "estudar fora". Jogue limpo com seus objetivos: o que voce quer? Existe uma linha bem mal definida entre aquilo que as famílias esperam que você seja e o que está proposto em seu contrato. Como seres humanos, porém, não da pra controlar emoções, reações, se você irá se dar bem com sua HF ou não.

Na minha primeira família escolhi ser mãe, e nos finais de semana tinha meu tempo livre em que a "babá" (leia-se minha host) estava lá e não precisava me preocupar com nada #sqn - morria de medo das segundas-feiras, pois as crianacas as vezes viam machucadas ou doentes ou etc. Na segunda, escolhi ser sumida. Fazia o que tinha que fazer e depois ia para o meu quarto e ficava sumida o finds inteiro, ou simplesmente sumia e voltava no domingo a noite. Na minha terceira família não tive tempo de ser nada. Na quarta estou tendo minha host mom quase como irmã mais velha e tô amando. É mais simples que ser mãe postiça, empregada, ou babá ou au pair.  A gente se ajuda. Nao gosto quando ela fala demais ou pede explicacao demais. Ou quando pede que eu trate as crias dela como minhas. Nao da. Desculpa, mas nao da. Os abacaxis sao todos seus, portanto, pegue a faca e descasque. 

Encerro aqui, mas quero por pra fora um pouco mais:
1. Não se engane com a frase "parte de uma família americana". 
2. Não aceite qualquer forma de tratamento, você merece o que você é e atrai. 
3. Não seja o que eles querem que você seja por medo. 
4. Pense como eles: você em primeiro lugar. 
5. Seja o que você quer ser.


#MaesdeAluguel
-------
Quer ler mais sobre mim? Acesse:

Siga-me: @gabriellassa
Tumblr: @gabriellassa

8 comentários :

  1. Amei o post, um ACORDA MENINA bem explicado!! rsrsrs
    Não sou AP ainda mas amo ler tudo sobre, inclusive posts como esse, que nos mostra a possível realidade de muitas APS.
    Obrigada por compartilhar ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola, Giselle!
      Nao sou uma Au Pair infeliz, mas minha visao do programa mudou muito depois que "senti na pela essa emocao".

      Sempre digo "venha ver por voce mesma", pois sao inumeras as historias de meninas que se deram muito bem aqui, outras que sao parte da familia mesmo, etc.

      Esta e apenas minha historia. ;)

      Excluir
  2. Olá Gabriella, como foi esse processo de troca de família? Você conversou com seu/sua coordenador/a e pediu pra trocar de host Family??

    Obrigada, Thais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola, Thais!
      Vou resumir: fiquei 8 meses com minha familia original, 2,5 meses com minha segunda familia com quem nao pude estender. Estendi com uma terceira familia que saiu do programa (onde fiquei 24 dias) e agora estou morando com a quarta. Respondeu sua pergunta?

      Beijos

      Excluir
    2. Ah, então vocÊ não se adaptou a sua host family e pediu para trocar né? E ainda estendeu seu programa?
      Obrigada por responder, beijo

      Excluir
  3. Anônimo19/3/15

    Adorei o blog *-* e esse post super realista!
    Escreve muito bem!

    ResponderExcluir