terça-feira, abril 07, 2015

How to become an au pair 1.01: será que esse é o programa certo pra mim?!


Hoje quero começar uma "série" aqui no blog: How to become an au pair 1.01, ou o que fazer pra tentar evitar se meter em uma furada.

Acontece que a gente recebe muito email e mensagem de gente que está com a ideia de ser au pair na cabeça, mas não sabe muito bem por onde começar... E acontece também de na vida de au pair encontrarmos meninas que vieram e fizeram/fazem tudo errado! E por mais que tudo nessa vida seja aprendizado, não custa nada tentar minimizar o tombo ne?!
Então tava aqui colocando tico e teco pra funcionar e pensando no que poderia escrever pra ao menos TENTAR ajudar quem ta entrando nessa agora... Mas como a lista é longa e eu já falo muito por natureza vou dividir em partes:

  • - Será que esse é o programa certo pra mim?!
  • - Como eu me preparo pra ser au pair?!
  • - Quais os principais erros a evitar na hora de fazer o match?
  • - Convivendo com a host family: como balancear trabalho e private time.
  • - Me meti numa furada, e agora quem poderá me ajudar?!

Então vamos lá: será que esse é o programa certo pra mim?!

Primeiramente o que eu preciso deixar claro aqui desde o primeiro momento: ESSE É UM INTERCÂMBIO DE TRABALHO!

Deixa eu repetir mais uma vez, só pra garantir: AU PAIR É INTERCÂMBIO DE TRABALHO!

Absorveram isso? Leiam, mentalizem e abracem essa ideia... AU PAIR É INTERCÂMBIO DE TRABALHO!



Então se você ta só procurando dar um tempo da sua vida, viajar pra um país diferente, mudar pro país de um namorado/pretendente... Ou qualquer outro motivo que você tenha pra querer embarcar nessa: PENSE DUAS VEZES.

Não estou dizendo que vai ser furada garantida, só estou dizendo que ser au pair é hard work, e se você não tem isso em mente desde o princípio pode se decepcionar MUITO com o programa. A maioria das meninas que eu vejo falando que não recomendam o programa e que odiaram tudo são meninas que deveriam ter escolhido um outro tipo de intercâmbio mais alinhado com os objetivos delas.
"Poxa, mas é muito caro fazer o intercâmbio que eu quero... Ser au pair e mais fácil."
Pois é, mas já ouviu aquele ditado que diz que "o barato acaba saindo mais caro"?! Quanto custa um ano da sua vida desperdiçado? Um ano odiando o que você faz e as pessoas com as quais você vive?! O prejuízo no final não acaba sendo muito maior?

Não quero desestimular ninguém de nada, o que eu quero propor aqui é que antes de mais nada se faça uma grande reflexão: por que eu quero isso? O que isso vai trazer pra minha vida? O que eu pretendo conquistar com isso?
Veja se você realmente tem uma resposta concreta pra essas perguntas... Se você sabe bem no que está se metendo, e o que você pretende agregar pra sua vida com isso.

Agora se suas respostas puderem ser facilmente resumidas em: quero morar em New York city por dois anos... ou quero viajar a Europa inteira em um ano... ou quero fugir pra Califórnia pra dar um tempo dos meus pais.. ou não sei o que fazer da vida e não tenho nada melhor pra fazer por enquanto........... wait a minute, I'm gonna have to stop you right there!!!!!!! 

Claro que na vida de au pair você pode acabar tendo a sorte de viver essas experiências TAMBÉM. 
Porém, a sua função PRINCIPAL vai ser TRABALHAR. E não é qualquer trabalho não... É cuidar do filho dos outros, num país com uma cultura diferente da sua, com tempo livre limitado e "controlado" pela host family. 

Você vai morar com uma host family e automaticamente se tornar "parte da família". Pelo menos no sentido de a partir desse momento você se tornará responsabilidade deles e se eles quiserem eles PODEM SIM impor algumas regras pra sua estadia na casa deles. 
Não importa se tua mãe nunca te deu curfew ou perguntava onde você ia e com quem você está. Não importa se você já morava sozinha e ia e vinha na hora que bem entendia. Não importa se você sempre teve teu carro e nunca teve que se preocupar em dar conta de pra onde estava dirigindo com ele. A partir do momento em que você vai morar com uma host family eles tem o direito SIM de querer saber disso e limitar os horários e distâncias que você vai com o carro deles e chega e sai de casa. Claro que sempre tem a au pair sortuda next door que tem hosts maravilhosos que nunca precisou fazer nada disso. Porém a família dela é dela e a tua é tua. E se a tua quer nome e telefone de todo mundo com quem você vai sair antes de autorizar o uso do carro, oh well... suck it up and get used to it. 

O programa tem um limite de horas a se trabalhar, funções a serem cumpridas, e períodos específicos e limitados de "free time". Again, se tua família quiser dividir suas horas em períodos de manhã tarde e noite espalhados pela semana e finais de semana (desde que respeitem a folga mínima obrigatória): ELES PODEM. Se eles pedirem pra você arrumar o quarto das crianças que está de pernas pro ar depois de um sleepover: ELES PODEM. Se você pedir dois dias de férias numa quinta e sexta, e eles pedirem pra você trabalhar no domingo: ELES PODEM. Nem sempre você vai dar sorte de ter uma família que quer tornar as coisas  prazerosas e fáceis pra você. Eles precisam de ajuda pra cuidar dos filhos deles e geralmente escolhem o programa au pair por oferecer uma flexibilidade muito maior que uma nanny ou babysitter. Existe uma imensa gray area em alguns aspectos do programa, porém, enquanto a família não quebrar as guidelines básicas de horas e funções não importa se você não ta se divertindo, não é pra isso que você tá lá!! Claro que existe au pair que dá sorte com schedule das 8 às 5 de segunda a sexta todos finais de semana livres. Mas isso quer dizer que TODAS vão trabalhar assim? NÃO

"Ah, mas au pair tem que estudar também!!!" Sim!! Existe o componente educacional do programa... Mas ele tem que funcionar de acordo com o seu schedule e as necessidades da sua família e não contra isso! Se você acha que vai poder estudar todos os cursos que nunca pôde no Brasil, slow down! A bolsa que a família paga cobre só parte dos custos da maioria dos cursos bons, e estudar muito costuma não caber no bolso e schedule das au pair. Não importa se tem um curso MARAVILHOSO numa uni perto da sua casa todas as sextas feiras de manhã. Se a sua família precisa que você fique com as kids nesse horário, você não vai poder fazer essas aulas e fim

E por último mas não menos importante: você está indo cuidar do filhos DOS OUTROS. Em um país com uma cultura diferente da sua. Onde não cabe a VOCÊ decidir o que é melhor pra criança ou não! Não importa se você cresceu levando chinelada na orelha, se os seus hosts dizem que você não pode nunca em hipótese alguma levantar a voz, você NÃO PODE nunca em hipótese alguma levantara voz. Não importa se você toma banho todo dia, se os seus hosts dizem que as crianças vão tomar banho dia sim, dia não... Só cabe a eles mudar essa rotina ou não! Claro que como parte da família e pessoa responsável pela educação diária das kids você pode sim sugerir e discutir com a sua família a maneira como as coisas acontecem na casa... Mas no final, o que vale é a decisão deles. E se eles querem que os filhos deles cresçam de determinada maneira não é papel da au pair querer fazer algo diferente. 

Eu vejo muita menina tendo muito conflito nesses pontos, e são coisas que você deveria saber antes mesmo de se inscrever no programa! 
"Ah mas eu não vou pros Estados Unidos pra ser empregadinha... Sou formada no Brasil, não preciso disso!" 
Exatamente! Você não PRECISA disso... é apenas uma escolha que você fez entre tantas outras que você poderia ter feito e que em muitos aspectos pode sim significar que você vai ser a "empregadinha". E faz parte do que é o programa! Se você não quer correr o risco de ter que lidar com esse tipo de situação, reveja se ser au pair é REALMENTE o ideal pra você. 
Você já cuidou de criança antes? De verdade? Já teve chefe cuzão? Já teve que trabalhar long hours e ainda assim chegar no final do dia sorrindo e com voz mansa? 

Não estou dizendo que o programa au pair é ruim! Muito pelo contrário, to aqui nessa pela segunda vez seguida e prefiro essa vida do que minha vida de escritório e trânsito! PORÉM, temos que ter pé no chão e encarar as coisas pelo o que elas realmente são! E au pair é hard work! Tem muita diversão, viagem, descobrimento, novas amizades... Mas antes de mais nada vai ter trabalho. E se vocês não estiverem conscientes disso antes de vir, vão se decepcionar MUITO quando a rotina começar a pegar pra valer. 
Será que não vale a pena juntar dinheiro por mais um tempo e pagar aquele curso foda que você quer sem se preocupar? Ou se organizar e preparar um mochilão pela Europa inteira sem ter que limpar bunda de criança no processo? Pense bem e pese bem as suas opções! Ser au pair é ESCOLHA, e não é a única que você pode fazer! 



Mas se você está 100% positiva de que essa é a escolha certa pra você, mês que vem eu volto com: "Como se preparar pra ser au pair (ou a arte e técnicas de engolir sapo sorrindo!)" 

Beijos! 

2 comentários:

  1. Penso sim em ir, sabendo de todos os deveres e responsabilidades inerentes, porém o maior dilema é em relação à família, há grandes chances de ficar numa família louco/desestruturada e o pior de tudo não ter apoio de LCC .. É muito comum percebermos que tem Aupairs que acham que estão em uma colonia de férias... e aí acabam se iludindo.,
    Mas e quando vc sabe pra que veio, se esforça e encontra host families ruins por natureza mesmo. e pior ainda, sem apoio da agência pra nos amparar. Isso é o que mais preocupa. e o que mais assisto em vídeos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Mari, isso acontece MESMO! E as vezes não importa o que se faça, não tem como evitar...
      Porém, muitas vezes na ansiedade de vir muita gente ignora algumas red flags óbvias e ai DEPOIS que chega aqui chora dizendo que foi injustiçada! Antes da gente sair do Brasil nós temos várias opções, não precisamos fechar com a primeira família que aparece e temos todo o direito (e dever) de entrevistar as famílias minuciosamente pra ao menos tentar evitar esse tipo de situação sabe?
      Esse é um assunto que vou escrever nos próximos posts... Pq o que tem de gente que faz um skype só e tem match com a família e fica na esperança contando com a sorte de que a família não seja furada........ Olha!
      Acho que falta muito preparo e maturidade em muita menina que usa o programa como uma maneira de "fugir" da realidade delas... Das meninas que vieram comigo, que fiz amizade no treinamento, praticamente todas já tiveram rematch (meu caso) e/ou foram embora/desistiram do programa. Uma delas, inclusive, no rematch dela falou que não queria mais little kids pq não gosta de manha, e queria família com teenager pq como ela é teenager também (19) ia ser mais fácil de lidar pq elas seriam amigas! Eu não sabia nem o que responder! As vezes as coisas não dão certo, e não havia nada que a menina pudesse ter feito de diferente... Mas MUUUUITAS vezes, tinha um milhão de coisas que poderiam ter sido feitas diferentes desde lá do Brasil!

      Excluir