quarta-feira, abril 18, 2018

Tragédia durante o programa





Olá!
Como vão?

Quando decidimos ser au pair, nós sabemos que estamos nos submetendo a coisas que estão fora do nosso costume. País novo, cultura nova, situações novas, né?

Geralmente quando digo que passei por situações estranhas durante o programa de au pair, as pessoas não costumam acreditar. Mas gente, sério foi um dia mais estranho que o outro.

Hoje queria falar de uma das situações mais bizarras diferentes que passei com os vizinhos da minha host family.

Logo no meu primeiro mês no EUA, eu estava já no meu quarto pronta para dormir até que começo ouvir barulhos de tiros. Fiquei desesperada, já achava que estava morando com alguma família louca e assassina que matam au pairs como hobby - nem um pouco dramática hahah. 

Resultado de imagem para que tiro foi esse

Como meu quarto ficava no sótão, eu não conseguia identificar se vinha dos andares de baixo da nossa casa ou se vinha da casa do vizinho. Meu quarto não tinha tranca e eu, como não sou tão trouxa, empurrei todos os armários e cômodas na frente da porta, não ia arriscar, né? Não dormi nada naquela noite.

Quando desci logo cedo de manhã vi a família toda chorando, assim como a mãe da família vizinha. Já fiquei com o estômago embrulhado esperando a notícia. Estava já tremendo e quase chorando também até que consegui perguntar o que estava acontecendo.

Eles me olharam e me contaram que houve um acidente na noite anterior e que... a galinha morreu. É, A GALINHA MORREU. A vizinha tinha algumas galinhas no quintal, e um guaxinim apareceu a noite e matou a galinha (uma das preferidas).

Resultado de imagem para galinha

E aí... vestimos preto e fomos para o enterro da galinha. hahahaha sério. A vizinha e os filhos fizeram discurso e tudo mais. E não contente, a vizinha pegou a câmera e ficou tirando foto do funeral.

Eu tive que me segurar para não rir - com todo respeito. E quando não aguentava mais me segurar, comecei a sair e a vizinha brava comigo veio perguntar o por quê eu não ia ficar. Com lágrimas (de riso) nos olhos, falei que ficava muito emotiva enterrando galinhas e que não suportava aquilo.

Resultado de imagem para oscar gif


Vida de au pair não é para qualquer um! Tem que estar preparado para tudo, inclusive funeral de galinha. hahaha


Beijos!


terça-feira, abril 17, 2018

E se eu voltasse hoje...


Já teria valido a pena?

Com toda a certeza. Amanhã fazem apenas dois meses que cheguei nos EUA, e posso dizer que compensa sim todo o estresse que passamos para estar aqui. Certas coisas só vivenciando pra saber. E que vivência! Mas primeiro, tudo bem com vocês? Espero que sim :) 


Bom, no meu último post eu contei um pouco sobre minha chegada, falei da dificuldade com a direção e agora vou contar sobre minha host family e as semanas iniciais. Devo dizer que a direção já não é mais um problema e eu vou pra baixo e pra cima com o carro, sem medo nenhum! Ufa! Parece um pesadelo distante toda a angústia vivida nos dias iniciais. E foi um desafio que venci contando com o apoio da minha família e amigos no Brasil (eles foram essenciais), além da minha host family e da LCC. Meus hosts disseram que odiariam “me perder” (eles ficaram preocupados com essa questão, já que dirigir é a minha função principal aqui) pois ficaram impressionados com a conexão rápida que tive com as meninas (<3). Mas deu tudo certo! Ah, recapitulando, elas tem doze anos, são gêmeas não idênticas e são beeeem diferentes em muitos aspectos.  E sim, nós temos uma relação ótima mesmo! Claro que temos conflitos normais do cotidiano mas as duas são as minhas fofinhas (ouvi-las tentando falar português é a coisa mais fofa do mundo! haha). E o dog da família é o meu mais novo amorzinho. Eu nunca tive um cachorro no Brasil então to amando ter um bichinho pra dar amor, ainda mais aqui que a gente fica mais carente. 


Em suma, minha família aqui é super receptiva, as meninas são educadas e respeitam o meu espaço, ao mesmo tempo em que me incluem nas atividades, nos jantares, etc. No spring break (período em que as atividades escolares entram em recesso aqui nos EUA) ganhei uma semana extra de folga e como eles não avisaram com muita antecedência não tive muito tempo para planejar uma viagem nem tinha nenhuma conhecida que pudesse viajar comigo. E o que eu fiz? Fui “caçar” meninas com viagens programadas no grupo do facebook e acabei encontrando três meninas, todas desconhecidas entre si, que iam para Las Vegas, Arizona e Utah! E duas semanas depois me vi curtindo a rua mais badalada de Vegas e depois fazendo hikes em Utah e explorando o deserto do Arizona! Caí de pára-quedas na viagem e foi uma das melhores experiências da minha vida! 




Lower Antelope Canyon, um dos lugares mais incríveis que já conheci.


Monument Valley: local onde foi gravada uma cena do filme "Forrest Gump". (RUN, FORREST, FUN!) 





E porque já valeu a pena? Bem, além dos lugares e pessoas que já conheci, além da possibilidade de vivenciar a cultura americana no dia-a-dia (e ver que sim, muita coisa é como nos filmes!!) e além da relação ótima que tenho com minhas meninas, tem todo o crescimento pessoal, o amadurecimento e a resiliência que fazem parte do pacote. É difícil? É sim. Sinto falta da minha família e amigos? Todos os dias. Mas vale muito a pena, afinal tudo vale a pena quando a alma não é pequena, hehe. No próximo post falarei um pouco sobre os objetivos e metas pro meu ano de au pair, porque acredito que ter em mente o que você pretende ao vir pra cá é essencial pra aproveitar o tempo da melhor forma possível e se manter firme nos dias difíceis. 



"Caminante no hay camino se hace camino al andar".

Um beijo gente,

Valquíria 

Facebook
Instagram






domingo, abril 15, 2018

AU PAIR NA SUÉCIA: Visto

Olá!
Hoje, como eu havia prometido, vamos falar sobre como aplicar para o visto de au pair na Suécia. Então se você já encontrou uma família, o próximo passo é aplicar para a permissão de trabalho e visto. 

Para os brasileiros que não possuem cidadania européia e querem ser au pair na Suécia, é necessário aplicar primeiro para a permissão de trabalho como au pair (work permit) e então após a aprovação você receberá a permissão de residência (visto). 

Para a imigração, o motivo da sua mudança para a Suécia deve ser a experiência internacional e oportunidade de aprender sobre a cultura e língua sueca.



1. Requerimentos para obter a permissão de trabalho como au pair

A fim de obter a permissão de trabalho, você deve:
  • possuir um passaporte válido;
  • ter entre 18-30 anos de idade;
  • mostrar que tem interesse no estudo da língua sueca e possuir certificado de matrícula em um curso de sueco na Suécia;
  • ter uma uma carta de oferta de trabalho de sua família hospedeira (host family) na Suécia, indicando que você irá se ocupar com os serviços leves domésticos por não mais de 25h por semana;
  • não trazer nenhum membro de sua família com você.
Lembrando que os serviços domésticos e estudos não devem exceder o limite de 40h por semana.

A permissão de trabalho como au pair na Suécia terá a validade de até no máximo 1 ano. Esta validade depende do período de estadia assinado em seu contrato de trabalho.

Importante: Se você é au pair em outro país e deseja se mudar para a Suécia como au pair imediatamente após o término de seu contrato, é indicado que você volte para seu país de residência (por país de residência entende-se o país em que você possui residência permanente, e não provisória) e aplique para a permissão de trabalho, pois um prévio período como au pair em outro país imediatamente antes de sua mudança para a Suécia, pode reduzir suas chances de ter a permissão de trabalho como au pair na Suécia aprovada. O motivo é que, isto pode indicar que o au pair trata-se de um trabalho regular como uma babá ou uma posição similar e, não realmente com o propósito de troca cultural.

PS: Até mais ou menos um ano e meio atrás era possível aplicar para a permissão de trabalho como au pair na Suécia enquanto você ainda era au pair em outro país, mas as regras de imigração para a Suécia mudaram, e hoje isto não é mais uma opção segura. Por tanto, se você ler posts antigos de pessoas que tiveram a permissão de trabalho e visto aprovados imediatamente após serem au pairs em outros países lembrem-se disto. 

Atenção: Eu não quero desencorajar ninguém a tentar aplicar para a permissão de trabalho diretamente de outro país para se mudar imediatamente para a Suécia, até porque, no site da imigração a informação que temos é que reduz as chances de ter a permissão aprovada, e não de que a permissão não será aprovada de forma alguma. Então cabe a você decidir se vale a pena arriscar ou não. 


2. Como aplicar para a permissão de trabalho como au pair na Suécia?

Você pode aplicar para a permissão de trabalho como au pair na Suécia online, diretamente do país onde mora, neste site Migrationsverket. Ou se dirigir ao consulado/embaixada mais próximo de você e fazer a solicitação pessoalmente. Provavelmente você terá que pagar uma taxa de SEK 1,000 (mil coroas suecas) para proceder com a aplicação, independente da forma de aplicação, online ou presencial. Confira mais sobre a taxa neste link.

2.1 Para aplicações online

Segue lista com os documentos que você deve fazer upload no site no momento de aplicar para a permissão de trabalho online:
  • cópias das páginas de seu passaporte com suas informações pessoais, tais quais: fotografia, assinatura, número do passaporte, país de emissão, período de validade e se você possui permissão de residir em outros países além do seu país de origem. Ps: se a validade de seu passaporte está próxima de vencer, ou vencerá durante o período que você pretende ser au pair, você deve solicitar a emissão de um novo passaporte, pois sua permissão de trabalho não será aprovada se a validade de seu passaporte for inferior ao período que pretende viver na Suécia como au pair;
  • carta com oferecimento de trabalho emitida pela sua família hospedeira (host family) na Suécia, especificando suas condições de trabalho como au pair;
  • certificado de matrícula no curso de sueco na Suécia, especificando o número de horas que você estudará por semana.
2.3 Após submeter seus documentos online

Depois que a imigração receber sua solicitação de permissão de trabalho como au pair, eles irão analisar suas informações para que possam decidir pela aprovação ou não. Lembrando que é importante que você submeta todos os documentos corretamente, para garantir uma análise mais rápida de sua solicitação.

Se a imigração achar que deve solicitar mais documentos, eles o farão. Pelo próprio site você pode acompanhar o status de sua solicitação, e caso seja necessário mais documentos, a imigração provavelmente lhe enviará uma notificação no e-mail que você cadastrou no site (é o que eles normalmente fazem quando faltam documentos na solicitação de outros tipos de visto).


3. Como sei que minha permissão de trabalho como au pair e visto foram aprovados?

A decisão será enviada para a embaixada ou consulado geral que você selecionou durante a solicitação online. Leve seu passaporte com você quando for buscar a decisão.

A embaixada sueca ou consulado geral lhe darão o cartão de permissão de residência ou o enviarão assim que estiver pronto. Lembrando que este cartão pode levar até 4 semanas para ser enviado a embaixada ou consulado após a decisão. Você deve mostrar seu cartão de permissão de residência junto de seu passaporte quando entrar na Suécia.

Se você não precisa de um visto para viajar para a Suécia, você pode mostrar uma cópia da decisão que recebeu na embaixada ou consulado no momento da sua chegada ao país. Assim que possível você deve agendar um horário no Migrationsverket na Suécia para ter sua foto e impressões digitais coletados. Quando seu cartão de permissão de residência for emitido, será enviado para seu endereço na Suécia.

No caso de sua permissão de trabalho ter a validade de menos de 3 meses, você não receberá um cartão de permissão de residência e precisará mostrar a decisão junto de seu passaporte no momento da entrada na Suécia.

Informação importante sobre o seguro saúde: você precisará de uma apólice de seguro saúde que cobrirá qualquer custo que possa ser causado devido a doença ou ferimentos durante sua estadia na suécia. Se você não estiver registrado no registro de população sueca, é importante que tenha sua própria apólice de seguro saúde.

Para ser registrado no registro de população sueca você geralmente deve possuir uma autorização de residência na Suécia de no mínimo 1 ano e pretender viver na Suécia por 1 ano ou mais.

3.1  Permissão de trabalho aprovada (work permit)

Se você teve a sua permissão de trabalho aprovada por mais de 3 meses, você receberá também seu cartão de permissão de residência (residence permit card). Este cartão é a prova de que você tem o direito de morar na Suécia, e contém sua foto e impressões digitais.

Se você precisa de um visto para viajar para a Suécia (não é o caso dos brasileiros), você deve se direcionar ao consulado ou embaixada da Suécia no Brasil mais próximo de sua residência assim que receber a confirmação da aprovação de sua permissão de trabalho, para coleta de suas impressões digitais. 

Vale informar que sua foto e impressões digitais não são salvas em nenhum software compartilhado entre os países da união européia, então mesmo que você já tenha tido permissão de residência em outro país antes, você deve se direcionar ao consulado ou embaixada para coleta de sua foto e das impressões digitais. 

Ps: entre em contato com o consulado ou embaixada antes de visitá-los.

Os brasileiros não precisam de visto para viajar para a Suécia como turista no período máximo de 90 dias, devido ao acordo Schengen. Neste caso, você pode viajar para a Suécia assim que receber a decisão de permissão de trabalho "aprovada" e, deve se direcionar ao Migrationsverket na Suécia, assim que chegar no país para coleta de sua foto e impressões digitais. Não esqueça de marcar horário antes.


4. Rematch: Mudando de família

Acredito que este seja o pesadelo das au pairs, mas pode acontecer e você precisa saber seus direitos e como lidar neste caso.

Você simplesmente pode mudar de família, sem ter que submeter para uma nova permissão de trabalho e residência. Entretanto, sua permissão de trabalho permanece exclusivamente como au pair e aconselho que você e a nova host family assinem um novo contrato para garantir seus direitos.


5. Como extender minha permissão de trabalho?

Prestem muita atenção neste tópico para não entenderem o assunto de forma equivocada.

Se você aplicou ou recebeu uma permissão de trabalho como au pair para um período menor do que 1 ano, e durante sua estadia decidiu que gostaria de permanecer como au pair por um período total de 1 ano (a contar pela sua data de chegada como au pair na Suécia) na mesma família, ou encontrou uma nova família, você pode aplicar para a extensão de sua permissão de trabalho e residência.

Se você aplicou para a extensão antes de sua atual permissão de trabalho vencer, você pode aguardar a decisão na Suécia. 

Caso você tenha saído da Suécia quando sua atual permissão de trabalho venceu, você pode ter problemas para voltar a Suécia antes da aprovação de sua extensão. Neste caso você deve aguardar a decisão fora da Suécia.

O processo para extensão de sua permissão de trabalho como au pair é praticamente o mesmo que você fez da primeira vez, serão necessários os mesmos documentos. A diferença é que na hora de submeter o processo online, ao invés de selecionar a opção "a new application", você deve selecionar "an extension".

Lembrando novamente que, o período total que um brasileiro pode ser au pair na Suécia é de 1 ano no máximo. Então, se você foi ou é au pair na Suécia por 1 ano, não será possível solicitar a extensão de sua permissão de trabalho e residência.

5.1 Tive minha extensão negada, o que eu faço?

Se a imigração recusar sua aplicação, você pode apelar contra a decisão em até 3 semanas que você recebeu a negativa. A informação de como entrar com esse processo você encontrará na própria decisão.


6. Aplicações de permissão de trabalho como au pair solicitados no consulado ou embaixada

Se você preferir pode solicitar a permissão  de trabalho e residência diretamente no consulado ou embaixada mais próximo, porém o processo pode levar mais tempo que o normal. O próprio consulado aconselha que o pedido seja feito online.

Caso ainda assim deseje fazer a solicitação pessoalmente no consulado ou embaixada, entre em contato diretamente com eles para solicitação dos formulários que você deve preencher e agende um horário.


7. Tempo para aprovação da permissão de trabalho e residência

O tempo médio que os brasileiros e estrangeiros tem aguardando para aprovação da permissão de trabalho como au pair e residência na Suécia tem sido de 3-4 meses. 


Conclusão

Espero que este post ajude a todas as pessoas que são ou pretendem ser au pair na Suécia e, que possamos compartilhar nossas dúvidas e conhecimentos. Este é um canal direto entre vocês e eu, então enviem suas dúvidas, compartilhem experiência e divulguem esta publicação para que mais pessoas tenham acesso a informação segura.

A fonte de pesquisa utilizada para criação deste texto foi exclusivamente o site oficial de imigração na Suécia, o Migrationsverket. Vocês encontrarão tudo que precisam saber sobre o visto de au pair neste site em inglês.

Obrigada e até mais!

By Valeska Monteiro
E-mail: vikingbrasileira@gmail.com

terça-feira, abril 10, 2018

5 dos piores conselhos que uma au pair pode receber antes de embarcar

Quando a gente está se preparando para realizar o sonho de morar fora, tem sempre um ou mais “aconselhadores” de plantão. O problema é que nem sempre eles têm algo interessante para dizer, não é mesmo?



Com a permissão de trabalho e visto em mãos, contei em cima da hora para amigos e familiares mais próximos que seria au pair na Bélgica. Acabei ouvindo alguns “conselhos dispensáveis” antes de embarcar. 


Pensando nisso, reuni 5 dos piores conselhos que uma au pair pode receber (e deve ignorar) antes do embarque com base na minha experiência. Dá só uma olhada:

 

1 – Não leva nada na mala não, compra tudo lá!


Se esse conselho vem com dinheiro para comprar tudo o que você precisa em outro país, tudo bem. Do contrário, não caia nessa. Você corre o risco de chegar desamparada e ainda gastar toda a sua grana de uma vez.

Leve as roupas, acessórios, remédios e tudo o que você acha importante na sua rotina. Com o tempo você vai comprando o que precisa lá para se adaptar 😊

 

2 – Não adianta levar roupa de calor, você nem vai usar...


Se você vai passar mais de duas estações do ano em outro país, você vai usar roupas diferentes para cada uma delas. Países mais distantes da Linha do Equador, por exemplo, têm estações do ano mais definidas.

Por isso, leve tanto roupa de frio quanto de calor. Lembrando que as possibilidades de esquiar no inverno e pegar uma praia no verão são bem altas!

 

3 – Tome um remédio para descansar no avião!

 


Existem pessoas que se sentem desconfortáveis em viagens de longa duração. Consumir um medicamento nesse caso pode ser interessante. Mas não é regra para todos.


Se você tem facilidade para comer, assistir filmes e dormir no avião, será que precisa mesmo de remédio? Relaxa e só vai!

 

4 – Você tem certeza que é isso mesmo que você quer? Veja bem...


Se alguém começar essa frase, você já pode fazer cara de paisagem e ignorar com um sorriso no rosto. Afinal, tudo o que vem a seguir pode trazer insegurança e questionamentos que não existiam antes.

É claro que vale a pena ouvir a opinião das pessoas que se importam com você. Só não deixe que elas influenciem completamente a sua decisão. 

 

5 – Se estiver com medo, desiste logo dessa ideia louca de ser au pair!


Ah, fala sério... Desistir da oportunidade de travar contato com outras culturas, aprender outros idiomas e crescer? Não faz muito sentido. Por mais que o medo da mudança seja inevitável, ele não precisa te paralisar. 

Por isso, não deixe que os piores conselhos te perturbem antes de embarcar. Confia e vai com tudo!

E claro, fique à vontade para compartilhar a sua experiência aqui nos comentários também 😊

Um beijo e até mês que vem!

quinta-feira, abril 05, 2018

Ou EU ou o AU PAIR - DICAS para quem está na dúvida entre o NAMORO e o INTERCAMBIO

“Júlia, quero muito fazer intercâmbio, é o meu sonho, porém, amo meu namorado, amo estar com ele e tenho medo da distancia acabar com o relacionamento”.


   Vejo com bastante frequência nos grupões de au pairs relatos como este. Futuros e futuras au pairs angustiados e sem saber “o que escolher, como escolher” e com medo de sofrer diante da decisão .
   Para você, que está nesse dilema, eu trago novidades, trago verdades e venho dizer que NAMORO x INTERCÂMBIO não são hipóteses opostas e podem SIM jogar a seu favor.

   Eu sou a Júlia, fui au pair em 2009 , hoje sou psicóloga clinica, trabalho também com assessoramento emocional online para intercambistas, e idealizadora do projeto Bate papo com pensamentos.
   Hoje vamos conversar sobre NAMORO x INTERCÂMBIO, pois percebo que é um tema que “dá pano pra manga”. Então vamos lá!
   Entre os bilhões de benefícios que você já deve ter lido que o intercâmbio pode trazer, vou listar mais duas vantagens: 
  1.  Fortalecer e amadurecer o relacionamento;
  2. Acabar de vez com eles (calma! A principio essa pode não ser uma vantagem, mas lá na frente você verá que foi melhor assim).

   Primeiro de tudo é bem importante deixar claro que não é fácil, mas que é possível, e que como falei, o intercambio pode trazer uma experiência única de amadurecimento e fortalecimento para ambos. Vocês passarão a conversar mais, aprender mais um sobre o outro, detalhes que as vezes acabam não sendo notados quando a convivência é diária. Laços de confiança também aumentarão, tanto a autoconfiança como a confiança no outro, e o casal começa a notar que aquela saída com os amigos no final de semana não é motivo de pânico e preocupação. A confiança aumenta, a segurança aumenta e o vínculo fica mais forte.


   A distância no tempo de intercambio também pode ajudar a trabalhar a individualidade do casal. É fundamental ter a ideia de que somos pessoas completas, únicas e independentes. Quem chega, chega para somar, transbordar e nunca para completar pedaços que faltam. Tá certo que essa ideia de “se completar” é algo do “amor romântico”, mas é também muito forte e que quando não há individualidade, sem o outro a pessoa realmente sente que falta um pedaço (e isso não é romântico, é grave)!  Aproveite o tempo de intercâmbio para fazer coisas que você gosta, se conhecer e incentive seu namorado (a) a fazer o mesmo.

   Nem sempre o Skype mata a saudade. Temos que colocar as cartas na mesa, né, mas criando novos hábitos de comunicação, fica mais fácil lidar com a distância. Vou dar um exemplo para ficar mais fácil explicar: vamos imaginar que você e seu namorado (a) costumam passar todos os finais de semana juntos; com o tempo, vocês se acostumam a isso, vira um hábito, uma rotina (no bom sentido). Com a distância, o cérebro continuará habituado por algum tempo à aquela rotina, e às sensações de bem estar que ela trazia. Ele (o cérebro) “pede” por ela,  e não será fácil. Criar novos hábitos, substituir por hábitos igualmente saudáveis e que incluam o parceiro pode ser enriquecedor para o casal. Tentar, por exemplo, “levá-lo junto” por chamada de vídeo em lugares legais que você vai conhecer será uma recordação muito legal e divertida. Ah, e com o tempo o cérebro se acostuma com esses novos hábitos e é por isso que fica mais fácil lidar com a saudade!

   Agora para encerrar, vai uma dica para quem está ficando. Aproveite a

distância para fazer algo novo. Sabe aquele curso, aquela faculdade, pós, que você está adiando há um tempinho? Aquele projeto que está na gaveta e que você acha SUPER promissor, mas andava meio sem tempo?! Aproveite para se dedicar ao seu crescimento pessoal, passe mais tempo com seus amigos e família, tire o maior proveito possível da situação, para que esse seja apenas mais um dos muitos desafios que vocês viverão na vida a dois!




   Well, este foi o nosso bate papo de hoje! Espero que tenham gostado e que ajude vocês nessa decisão!

   Se você tem alguma sugestão de tema para a gente conversar aqui no blog, coloque nos comentários! Sua ideia pode ser tema do meu próximo post!
   Até o próximo dia 05,
   Beijos,

Júlia B. Benedini – Psicóloga 

(CRP: 08/1965)